terça-feira, 30 de agosto de 2011

6 A visão que quero ter




Sou evangélico “Pentecostal”, ou seja, acredito na atualidade do Batismo com o Espírito Santo e dos Dons Espirituais.

Respeito àqueles que não creem assim, mas quanto a mim, esta é a visão que tenho ao estudar as escrituras, principalmente o período neotestamentário.

Porque estou dizendo isto? Bem, é simples. Como pentecostal que sou eu acredito como já disse (desculpem a redundância) na atualidade dos Dons Espirituais.

Acredito na manifestação dos nove dons alistados por Paulo na sua primeira carta aos coríntios 12.1-11. Também acredito, ainda que não esteja alistado na categoria destes Dons descritos por Paulo, que algumas pessoas têm visões de Deus, ou seja, visões espirituais.

Encontramos relatos em toda a Bíblia de pessoas que tiveram visões da parte de Deus, para manifestação de uma mensagem ou aviso de juízo. Faltaria espaço para que relatemos todas estas visões aqui.

Mas o que quero dizer é que nos dias hodiernos onde a pobreza, a miséria, o desamor, o desemprego, etc. grassa a nossa humanidade que a visão que quero ter hoje é:

A visão que quero ter é aquela do meu irmão doente precisando de um remédio ou uma ajuda financeira e eu estar ali para ajuda-lo;

A visão que quero ter é deste pai de família desempregado, com uma família numerosa para dar comida, e eu de alguma maneira estender a minha mão;

A visão que quero ter não é de bolas de fogo descendo no meio da igreja, enquanto os pequenos são discriminados em nosso meio e ninguém parece se importar;

Do que adianta ter uma visão de um anjo com espada na mão, enquanto os hospitais estão cheios de pessoas que precisam de salvação e ninguém diz: “Eis-me aqui”?

A visão que quero ter é a visão do amor ao próximo, da mão amiga àquele que está caído, do abraço apertado naquele que perdeu a fé;

É esse tipo de visionário que Deus está procurando nos últimos dias... E você se prontifica a ser um destes visionários?

     Είθε η ειρήνη του Χριστού είναι στις καρδιές σας (Que a paz de Cristo esteja em vossos corações)

                    João Augusto de Oliveira

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

0 Os atuais desafios na "EVANGELIZAÇÃO"


O mundo em que vivemos está, cada dia que passa, mergulhado em um caos espiritual, que reflete sua obstinada intenção pela exclusão de Deus. Diante desse quadro, a Igreja do Senhor deve sempre se posicionar levantando a bandeira do Evangelho de Jesus Cristo. Os desafios confrontam-nos para que tomemos decisões firmes em prol do Reino de Deus (Mc 15.16).

Consideremos alguns desafios do tempo presente.

EVANGELISMO URBANO
As grandes e pequenas cidades, com suas atividades sobretudo econômicas, demonstram a acelerada busca pela satisfação material. O resultado é a formação de cidadãos que desprezam o espiritual. Cabe à Igreja usar recursos de comunicação disponíveis para alcançar aqueles que dificilmente entram num templo evangélico ou religioso. Disse Paulo: “Fiz-me de tudo para todos, para por todos os meios, chegar a salvar alguns”, 1 Co 9.22.

São vários os meios para anunciação do Evangelho de Jesus:

a)      Rádio – Os programas de rádio ainda são importantes para a evangelização. Quando há bom conteúdo de música e mensagem evangelística, o saldo sempre é positivo.

b)      Telefone – É uma boa ideia evangelizar por telefone. Pode-se viabilizar uma ou mais linhas de aconselhamento ou SOS com larga propaganda, para o pronto atendimento às pessoas carentes de Deus.

c)       Outdoors – Esse instrumento de propaganda causa um efeito muito promissor. Basta saber que todos que usam ônibus, trem, metrôs etc. darão uma “olhada” e serão despertados pelos dizeres evangelísticos expostos.

d)      Folhetos – Os folhetos nunca foram excluídos da estratégia de evangelização. Eles abrem a porta para a primeira abordagem, que depende do interesse de quem recebe o folheto, pode abrir uma porta para uma boa conversação, começando pelo assunto do próprio folheto. Em países de regime totalitário, onde a Igreja é perseguida, o folheto é um arma indispensável.

e)      Televisão – A televisão ainda é o maior veículo de comunicação do mundo. Não se pode omitir esse recurso de evangelização. Sua penetração nos lares é incontestável.

f)        Internet – Estamos na Era Digital, onde os computadores estão desempenhando um avançado progresso em várias áreas da vida. Em fração de segundos, conectamo-nos com o mundo todo pela internet. O envio de e-mails evangelísticos bem elaborados e a criação de bons sites contribuem para que a Palavra de Deus seja amplamente divulgada.

g)      Cruzada – As cruzadas contagiam multidões para ouvir a Palavra de Deus. Recordo-me das Cruzadas Boas Novas, realizadas pelo missionário Berhnard Johnson com milhares se rendendo aos pés de Cristo. Esse tipo de trabalho não pode parar.

EVANGELISMO RURAL

Há uma perceptível diferença entre a evangelização nos grandes centros urbanos e aquela feita na região rural. Os recursos humanos e financeiros são limitados, requerendo um esforço criativo e planejado para execução do evangelismo. Um exemplo é o caso das regiões ribeirinhas da Amazônia, onde o meio de transporte é fluvial e o trabalho, para ser, eficiente une o espiritual e o social, considerando o alto índice de doenças existentes. No interior do Piauí; a evangelização se dá muitas vezes de bicicleta, em detrimento das estradas e fatores monetários. Os cultos são realizados à luz de lampião. Os dividendos espirituais adquiridos com esse trabalho, ainda que muitas vezes não sejam imediatos, produzem no coração do semeador uma alegria transbordante.

SINCRETISMO RELIGIOSO

A grande mistura de religiões tem causado uma certa desconfiança no povo em geral. Em nome da “prosperidade”, faz-se de tudo para angariar a simpatia das pessoas, usando também a “simpatia” e o espiritismo. Usam o nome de Jesus, sem contudo renunciarem a vida pregressa do velho homem manchado pelo pecado. Estão acumulando uma condenação inevitável, se persistirem no erro.
O cristão é a luz do mundo e o sal da terra para fazer a diferença. Essa vocação é inviolável do ponto de vista bíblico. Nada de aliança ou acordo com entidades e práticas que discordam da Santa Palavra de Deus (1 Pd 2.9-10).

AVAREZA HUMANA

O apóstolo Paulo falou com precisão sobre a avareza. Disse ele: “Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e transpassaram a si mesmos com muitas dores”, 1 Tm 6.10. É lamentável saber que no meio do povo de Deus  há uma grande porcentagem de avarentos. Pelas contrubuições mensais e ofertas nos cultos, dá pra avaliar que, salvo algumas exceções, o montante arrecadado não é correspondente ao poder aquisitivo do ofertante.
Não são só as pessoas abastadas que sofrem do “vírus” da avareza, mas os pobres também podem tentar dissimular procurando se prevalecer de seu status. O Senhor Jesus ensinou o segredo e a importância de contribuir: “Dai, e ser-vos-á dado; boa medida. Recalcada, sacudida e transbordando vos darão; porque com a medida com que medirdes também vos medirão de novo”,Lc 6.38.

ALCANÇANDO TODAS AS CLASSES SOCIAIS

Em se tratando de classes sociais, não devemos excluir alguma pessoa por não fazer parte de um grupo “exclusivo”. Todas as crianças, adolescentes, jovens  e adultos, incluindo os da terceira idade e portadores de deficiência física  e mental, são dignas de atendimento espiritual, observando suas características particulares. A mímica tem sido usada para evangelizar os surdos e mais recentemente  foi lançada uma Bíblia braile para alcançar deficientes visuais.

O rico e o pobre têm o mesmo valor diante de Deus (Pv 22.2). Quando Belssazar foi pesado na balança divina e encontrado em falta, não o foi por ser rico, senão por sua rebeldia e profanação diante da santidade do Senhor.

Portanto, aproveitemos todos os recursos necessários para a colheita de preciosas almas para o Reino de Deus. Jesus está voltando!

Artigo escrito pelo Pastor Paulo Magalhães -  o autor é ministro evangélico, membro da CGADB 

domingo, 28 de agosto de 2011

0 Não toqueis os meus ungidos




Não toqueis os meus ungidos, e não maltrateis os meus profetas. Salmos 105:15

Nos dias atuais é normal ouvirmos essa citação bíblica tirada de seu contexto por pessoas que vivem a apregoar doutrinas estranhas no meio do povo de Deus. Esses com o intuito de atemorizar as pessoas e mantê-las cativas, citam essa passagem das escrituras como um escudo defensor de si mesmas.

Mas analisando essa passagem ainda que de forma superficial, podemos ver que ela expressava a alegria de Davi e de outros salmistas quando puseram a Arca da Aliança no meio da tenda de Davi. Então, naquele dia os filhos de Israel louvaram ao SENHOR o Deus de Israel pelas suas maravilhas que operara na vida deles (1º Crônicas 16.1-22).

O Salmo escolhido foi o que na nossa tradução brasileira (A.R. A e A.R. C de João Ferreira de Almeida) é conhecido como 105 e versículo 15. Porém, como já disse anteriormente (desculpem a redundância) fazendo uma analise superficial (visto que não sou exegeta) neste Salmo e na passagem de Crônicas e passagens paralelas; observamos que essas passagens descrevem as proezas de JAVÉ ao chamar Abraão, Isaque e Jacó para ser seu povo e sua propriedade peculiar.

Estes (Abraão, Isaque e Jacó) com os filhos de Israel andaram de nação em nação, de reino e reino até que encontrassem repouso na terra de Canaã, que Deus lhes havia prometido. Mas, enquanto peregrinavam nos desertos e em meio a povos bárbaros, Deus diz que deu uma ordenança a todos os povos por onde eles passavam “Não toqueis os meus ungidos, e não maltrateis os meus profetas”. De onde vemos que essa expressão de Davi reflete a alegria que sentia ao saber que enquanto seus pais peregrinavam Deus os guardava com a sua mão poderosa.

Mas ultimamente o que vemos é uma leva de falsos profetas, mentirosos e enganadores no meio do povo de Deus. “Gente que anda de igreja em igreja, fundando ministérios (não que eu seja totalmente contra) sem a direção e Deus; para ensinar heresias ao povo e depois quando alguém os questiona, eles se defendem:” Não toqueis os meus ungidos”.

Desde quando questionar um ensino errado ou analisa-lo à luz da Bíblia é o mesmo que tocar na unção de alguém? Ora, quem não se lembra de Paulo em Beréia depois de ter passado por Tessalônica? Paulo evangelizou os tessalonicenses e os mesmos receberam a palavra, mas quando ele chegou a Beréia está escrito dos bereanos:” Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim”. Atos 17:11.

Nós não vemos o escritor Lucas (escritor de Atos) dizer que Paulo evocou a sua autoridade apostólica para repreender os bereanos ou que ele citou o Salmo 105.5! Pelo contrário, o escritor nos diz que “estes foram mais nobres”.

Disto entendemos que ninguém deve receber indiscriminadamente qualquer ensino ou pregação na igreja sem antes submetê-la ao crivo da Palavra de Deus. O próprio apóstolo Paulo diz: “Examinai tudo. Retende o bem. 1 Tessalonicenses 5:21.

Ultimamente vemos tantas bizarrices com o nome de evangelho em nosso meio, e o pior, muitos não têm coragem de questionar por medo de pecar contra Deus. Digo que é nossa obrigação questionar a luz das Escrituras tudo que ouvimos em Nome de Deus.

Portanto meu querido. Examine, leia, busque, questione e só assim aceite revelações extraordinárias e ensinos que lhe pareçam estranhos com o nome de Evangelho. Pois se assim não o fizer, você pode estar comprando “gato por lebre”!

    Na paz de Cristo,

                                 João Augusto de Oliveira

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

1 A falência da saúde pública no Brasil


Art. 196 da C.F. - A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.

Quem dera meu Deus que as leis no Brasil, ou a execução das mesmas, saíssem do papel da letra morta e se tornassem realidade.

Os milhares de brasileiros que dependem do atendimento a saúde pública que o digam. Já relatei neste blog, o ocorrido comigo e com milha filha de 11 anos, pois que sofremos um acidente envolvendo nós na bicicleta e um motorista irresponsável (http://profetadoevangelho.blogspot.com/2011/08/as-coisas-estao-ruins-nao-reclame.html), possivelmente bêbado talvez.

E não venho aqui reclamar da vida, lamentar e murmurar contra Deus, Deus me livre. Se não fosse a potente mão do Todo Poderoso talvez eu nem aqui estivesse escrevendo para vós, meus queridos amigos.
“O que me leva a escrever é a indignação face ao descaso das autoridades políticas de nosso pais, no tocante a saúde pública. Pois, como qualquer brasileiro que se preza, sou um trabalhador, pago meus impostos (quer queira, quer não, eles são arrancados a força).  Mas é na hora que me encontro numa “maca” dura de um hospital público (Hospital Zona Sul – em Santo Amaro SP) que sou trata-o como lixo humano, animal no abatedouro, refugo da sociedade.”

Onde ficam os meus direitos de cidadão? Onde fica a Carta Magna do Brasil (A Constituição – art. 196) que diz que a saúde é  direito de todos e dever do Estado”?

Esta na hora dos Srs. políticos de nosso país (salvo raras exceções) tomar vergonha na cara e começar a deixar de pensar no próprio estômago. Ou será que estou mentindo? Gente, eu vi cenas impressionantes neste hospital que fui. Pra começo de conversa, passamos quase dois dias no hospital em observação e nem ao menos fizemos uma refeição...

 Pelo amor de Deus! Vi corredores cheios de camas de pessoas chorando e gemendo de dor sem ter ninguém para socorrê-las. Será que isso não nos comove? Quanto sofrimento será necessário para que os Srs. Presidente da República, Governadores de estados, Prefeitos, deputados, etc. façam algo pelo povo?

E nós meus queridos leitores? Até quando continuaremos a votar em pessoas que nos tratam dessa maneira? É hora de o brasileiro abrir os olhos na hora da urna e saber que seu voto decide o futuro da nação. Cito como futuro: Educação de qualidade, saúde pública digna, segurança pública que funcione, moradia para milhares que não tem um teto e assim por diante.

Vamos dar a resposta a eles nas eleições e mostrar que nós conhecemos também o artigo primeiro e parágrafo único da C.F. que diz: Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.

   Na paz de Cristo, o justo, reto, fiel e sincero governador do Universo,

                    João Augusto de Oliveira.




0 As coisas estão ruins? Não reclame, poderia estar pior!


Há dois dias, sofri um acidente. Fui buscar minha filha de 11 anos na escola onde ela estuda, e como costumo fazer, fui de bicicleta. A peguei na escola e no meio do trajeto, um veículo colidiu na traseira da bike em que estávamos – fomos jogados ao chão e já viu...

   Minha filha ficou desacordada, e eu... Tinha que tentar ajuda-la, junto com algumas pessoas que estavam no local. Um bombeiro que ia passando (que menciono com honra) chamou o resgate e fomos então para o Hospital.

Chegando lá é que o caos estava começando.  Eu imaginei que tínhamos nos machucado, mas qual, o que vi lá foi simplesmente desolador.  Pessoas amontoadas pelos corredores parecendo bois para o abatedouro, outras gemendo de dores na sala de “emergência” onde estávamos. Foi ai que cheguei a uma conclusão: Se as coisas não sua vida não andam bem, e você acha que tem o direito de reclamar – pense bem – elas poderiam estar bem piores.

Passarei a falar apenas de mim, na primeira pessoa. Enquanto eu estava ali todo ralado, tinham pessoas perdendo parentes que sofreram acidentes de moto;

Enquanto eu tomei uma pancada na cabeça, mas estava e estou lúcido (pelo menos eu acho) vi pessoas que sofreram traumatismo e desacordadas que estavam, partiram para a eternidade sem ter uma chance de dizer “adeus” aos seus amados;

Enquanto eu passei minutos na sala de raios-X, para depois descobrir que graças a Deus não tinha tido nenhuma fratura (minha filha também não), vi pessoas que quebraram ossos e devem estar se preparando para andar de muletas ou de cadeira de rodas.

Por isso meu amigo, pense bem antes de reclamar do seu emprego. Pense em quantos estão desempregados,

Pense antes de reclamar da sua casa (que pejorativamente) você chama de “barraco”, tem milhares morando embaixo da ponte,

Antes de reclamar, porque o bife ficou meio cru, ou o bolo assou demais, olhe em volta e veja quantos que ainda hoje, enquanto você lê, não fizeram uma refeição diária.

Portanto se estiver ao seu alcance, ajude o cansado a encontrar repouso, o cego a encontrar o caminho, o faminto a se alimentar. Mas se não puder fazer nada disso, pelo menos “pare de reclamar” um pouco da vida e passe a ser grato a Deus pela dádiva da Existência.

            Do vosso conservo em Cristo,

                 João Augusto de Oliveira


terça-feira, 23 de agosto de 2011

0 Essa tal liberdade de expressão


Liberdade de expressão - é o direito de manifestar livremente opiniões, ideias e pensamentos. É um conceito basilar nas democracias modernas nas quais a censura não tem respaldo moral. (Wikipedia)

Não sou advogado, jurista, promotor de justiça nem juiz. Não entendo quase nada de Leis.
O pouco que sei vem mediante algumas leituras esporádicas e interpretações de terceiros as quais tenho acesso. Como um admirador das Leis, gosto de ler um pouco de tudo: Constituição Federal, Código Penal, Civil, Código Processual Penal, etc.

Porque estou citando tudo isso? Para dar uma ideia de que sou algum perito em direito penal, civil ou trabalhista? De maneira nenhuma. É apenas para dizer que fora leituras esporádicas destes, sou ignorante em matéria de leis.

Mas, estou escrevendo este comentário por demais simples, porque uma coisa me chamou a atenção:

A Constituição no seu artigo 5º e parágrafos de 1 ao 4 rezam o seguinte:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
I - homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição;
II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;
III - ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante;

IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;

Principalmente o parágrafo 4º é claríssimo no que diz: “é livre a manifestação do pensamento”. Mas não é isso que vemos em nosso País. O que vemos é que enquanto alguns grupos, como por exemplo, “os homossexuais”, têm liberdade de realizar a passeata do “orgulho gay”, outros podem realizar a “passeata da maconha”, etc. Os evangélicos não podem dizer o que pensam; que liberdade de expressão é essa em nosso país?

Onde fica o texto da lei que diz: “Todos são iguais perante a lei?”... Ora, está havendo uma grande discrepância em tudo isso.

Não quero aqui incentivar o ódio, a violência nem a agressão verbal ou física contra qualquer grupo em nossa nação. Mas não posso me calar quando uns têm o direito de ser e dizer o que pensam, enquanto que outros não. Isso está errado.

Não devemos jamais nos calar. Somos chamados para falar a verdade, protestar contra o erro. E aconteça o que acontecer, doa a quem doer nós vamos falar a verdade até o último dia de nossas vidas.

 Em Cristo,

                      João Augusto de Oliveira

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

0 Pastor vítima de censura "Fala" - O caso de Ribeirão Preto


Em entrevista ao Portal Cristão News, o Pr. Antônio Hernandez Lopes conta como foi ameaçado e como a Bíblia foi efetivamente censurada em Ribeirão Preto.

O Pastor Antônio Hernandez Lopes concedeu entrevista ao Portal Cristão News e comentou sobre as mensagens bíblicas que geraram críticas do movimento gay em Ribeirão Preto e que foram apagadas do outdoor por decisão da justiça.

Segundo Hernandez Lopes, “ele até agora não sabe quem tirou ou retirou a mensagem do outdoor, ele não recebeu notificação nenhuma, na verdade ele até recebeu a ligação de um defensor público o ameaçando de processá-lo caso ele não retirasse o outdoor. Segundo Hernandez Lopes ele propôs ao defensor o cancelamento da parada gay que acontecerá às 13 horas de hoje em Ribeirão e o defensor disse que a tirada do outdoor era necessária, porém o cancelamento da parada era irrevogável.

Segundo Hernandes a decisão foi da vara cível da comarca de Ribeirão Preto onde o juiz deu uma liminar com pena de multa. Perguntado se realmente foi o defensor que ligou e não outra pessoa, Hernadez disse que era o defensor sim e que tal defensor ligou para o presidente do conselho e o presidente deu o celular dele e completa:

“A única ameaça que tivemos foi do poder público! Porém quem tirou o outdoor foi o poder público. Nós não tiramos o outdoor. Nós não negamos a palavra de Deus”. E concluindo diz: “quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica”. (Romanos 8:33)

Segundo Hernandez, ele não recebeu notificação nenhuma e “fato que até agora eles não respeitaram o meu direito de ter sido notificado” e questionará o seu direito de defesa. Ele diz que assinou um termo de responsabilidade, tiraram o outdoor de lá, porém a igreja não tirou o versículo de sua boca.

Para quem acha que Antônio Hernandez Lopes tomou a decisão de colocar o outdoor do dia para a noite está bastante enganado, pois segundo ele essa foi uma estratégia de Deus e depois de muita oração e jejum, subidas e descidas aos montes e joelho no chão durante mais de 6 meses em consonância com a igreja e algumas igrejas locais e irmãos.

“Confio no Senhor Jesus, pois a perseguição que estamos vivendo reflete até no exterior. Não temos dúvida que Deus está nessa causa. O fone da igreja eu desliguei. Só mantenho o fone pessoal celular no qual eu atendo as ovelhas. Tudo o que aconteceu Deus tem dado esconderijo, refugio e me ajudado, Deus tem protegido, eles não conseguem, Deus tem me preservado e dado paz e alegria que nunca experimentei”, afirma Hernandez.

“Na verdade, pense em uma coisa: é Deus que está por trás disso tudo, pois nós estamos na legalidade e eles estão na ilegalidade. É Deus quem está fazendo confusão na terra dos filiesteus”, diz Hernandez.
Neste momento lágrimas de alegria, misturadas com clamor percorrem o corpo do Pastor Hernandez que clama:

“Eu não choro de tristeza, e sim de alegria, eu clamo a todos os homens e mulheres de Deus nesta terra: acorda Igreja! Acorda para o que estamos vivendo. Acorda igreja que dorme! Eu não estou chorando porque eu estou com medo. Eu estou chorando porque eu estou vendo uma igreja morta! Dormi em um país democrático e acordei em um país ditatorial!

O Pastor Hernandez termina solicitando que todos os irmão “se liguem” hoje a noite ( 20/08/2011) no sitewww.casadeoracaoderibeirao.org.br, pois fará um culto ao vivo e publicará no site e pede para que todos divulguem o que ele irá pregar à nação: “será uma grande palavra e avivamento”


domingo, 21 de agosto de 2011

3 A verdade sobre os pastores e lobos - dando nome aos bois



Pastores e lobos têm algo em comum: ambos se interessam pelas vidas das ovelhas, e vivem perto delas. Assim, muitas vezes, pastores e lobos nos deixam confusos para saber quem é quem. Isso porque lobos desenvolveram uma astuta técnica de se disfarçar em ovelhas interessadas no cuidado de outras ovelhas. Parecem ovelhas, mas são lobos.

No entanto, não é difícil distinguir entre pastores e lobos. Urge a cada um de nós exercitar o discernimento para descobrir quem é quem.

Pastores buscam o bem de suas ovelhas; lobos buscam os bens das ovelhas.
Pastores gostam de convívio; lobos gostam de reuniões. Pastores vivem a sombra da cruz; lobos vivem a sombra de holofotes.

Pastores choram pelas suas ovelhas; lobos fazem suas ovelhas chorar. Pastores tem autoridade espiritual; lobos são autoritários e dominadores. Pastores tem esposas; lobos têm co-adjuvantes.

Pastores tem fraquezas; lobos são poderosos. Pastores olham nos olhos; lobos contam cabeças. Pastores apaziguam as ovelhas; lobos intrigam as ovelhas.Pastores tem senso de humor; lobos se levam a sério.

Pastores são ensináveis; lobos são donos da verdade. Pastores tem amigos; lobos têm admiradores. Pastores se extasiam com mistério; lobos aplicam técnicas religiosas.
Pastores vivem o que pregam; lobos pregam o que não vivem.

Pastores vivem de salários; lobos enriquecem. Pastores ensinam com a vida; lobos pretendem ensinar com discursos.

Pastores sabem orar no secreto; lobos só oram em público. Pastores vivem para suas ovelhas; lobos se abastecem das ovelhas. Pastores são pessoas humanas; lobos são personagens religiosos caricatos.

Pastores vão para o púlpito; lobos vão para o palco. Pastores são apascentadores; lobos são marqueteiros.Pastores são servos humildes; lobos são chefes orgulhosos.
Pastores se interessam pelo crescimento das ovelhas; lobos se interessam pelo crescimento das ofertas.

Pastores apontam para Cristo; lobos apontam para si mesmos e para a instituição. Pastores são usados por Deus; lobos usam as ovelhas em nome de Deus. Pastores falam da vida cotidiana; lobos discutem o sexo dos anjos.

Pastores se deixam conhecer; lobos se distanciam e ninguém chega perto. Pastores sujam os pés nas estradas; lobos vivem em palácios e templos. Pastores alimentam as ovelhas; lobos se alimentam das ovelhas.

Pastores buscam a discrição; lobos se autopromovem.Pastores conhecem, vivem e pregam a graça; lobos vivem sem a lei e pregam a lei.

Pastores usam as escrituras como texto; lobos usam as escrituras como pretexto. Pastores se comprometem com o projeto do reino; lobos têm projetos pessoais. Pastores vivem uma fé encarnada; lobos vivem uma fé espiritualizada.

Pastores ajudam as ovelhas a se tornarem adultas; lobos perpetuam a infantilização das ovelhas. Pastores lidam com a complexidade da vida sem respostas prontas; lobos lidam com técnicas pragmáticas com jargão religioso.

Pastores confessam seus pecados; lobos expõem o pecado dos outros.Pastores pregam o Evangelho; lobos fazem propaganda do Evangelho.Pastores são simples e comuns; lobos são vaidosos e especiais.

Pastores tem dons e talentos; lobos têm cargos e títulos. Pastores são transparentes; lobos têm agendas secretas. Pastores dirigem igrejas-comunidades; lobos dirigem igrejas-empresas.

Pastores pastoreiam as ovelhas; lobos seduzem as ovelhas. Pastores trabalham em equipe; lobos são prima-donas. Pastores ajudam as ovelhas a seguir livremente a Cristo; lobos geram ovelhas dependentes e seguidoras deles.

Pastores constroem vínculos de interdependência; lobos aprisionam em vínculos de co-dependência. Os lobos estão entre nós e é oportuno lembrar-los do aviso de Jesus Cristo.

*Guardai-vos dos falsos profetas, que vêem a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores*”. (Mateus 7:15)

Autor: Osmar Ludovico (Revista Enfoque Gospel, janeiro 2006)

sábado, 20 de agosto de 2011

0 Vivemos mesmo num país democrático? Outdoors bíblicos são retirados por ordem judicial!





Comentário de Júlio Severo: Paradas gays no Brasil têm liberdade de afrontar a Bíblia e valores religiosos, sob a capa de direito de expressão. Mas quando os cristãos colocam versículos da Bíblia em outdoors, ativistas gays e governo gritam “homofobia”! A Defensoria Pública de Ribeirão Preto envergonhou toda a sua classe ao ameaçar os responsáveis pelos outdoors bíblicos. No mínimo, toda essa equipe da Defensoria deveria ser exonerada imediatamente por defender e praticar a censura. A notícia a seguir é do jornal esquerdista Folha de S. Paulo:

As mensagens bíblicas que geraram críticas do movimento gay, em Ribeirão Preto (313 km de SP), foram apagadas do outdoor. Na noite de ontem (19), a 6ª Vara Cível concedeu liminar a uma ação proposta pela Defensoria Pública, determinando a retirada imediata. Na manhã deste sábado, o outdoor, colocado ao lado da Câmara da cidade, já estava em branco.

A obrigação da retirada foi dirigida à Casa de Oração, igreja evangélica autora das mensagens, e à empresa Nobile Publicidade Visual, sob pena de multa de R$ 10 mil. Nenhum representante da empresa foi encontrado para falar sobre a retirada.

O pastor Antônio Hernandez Lopes, da Casa de Oração, disse que ficou surpreso com a retirada das mensagens porque ele ainda não havia sido notificado.

"Dormi em um país democrático e acordei em um país ditatorial. Estou assustado", afirmou. Lopes disse que assinou um termo de responsabilidade com a empresa por conta da mensagem e que analisa a possibilidade de pedir ressarcimento.

O outdoor foi colocado na última quarta-feira (17) e trazia três citações bíblicas. Entre elas, uma do livro de Levítico: "Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisa abominável...".

Outra, da Carta de São Paulo aos Romanos, diz que "até as mulheres trocam as relações naturais pelas que são contra a natureza. E também os homens deixam as relações naturais com as mulheres e se queimam de paixão uns pelos outros".


0 Vidas Marcantes - Agnes Ozman (1870 – 1937)



Em tempo de comemorações do Centenário das Assembleias de Deus no Brasil, não podemos deixar de salientar as circunstâncias em que se deu o fato mais marcante do avivamento pentecostal.

Lembrando que no final do século XIX houve várias manifestações do poder de Deus em vidas de homens e mulheres que almejavam uma igreja avivada na santidade, no evangelismo e em missões. Homens como Charles Finney, Dwight L. Moody, John Wesley e outros tiveram suas posições sobre esse tema do avivamento, mas não era tudo que Deus tinha para realizar por sua igreja.

As experiências alcançadas por muitos dos que buscavam o poder de Deus ficavam longe da realidade das promessas que foram feitas por Jesus, conforme registra o Novo Testamento. Os que foram mais ousados chegaram e pediram o batismo no Espírito Santo, e o resultado foi alcançado com a primeira manifestação desse batismo na chegada do século XX. Esse acontecimento tornou-se a linha divisória entre os conceitos humanos e a potente mão de Deus manifestada no Bethel College em Topeka-Kansas.

No final do ano de 1900, os alunos começaram a estudar sobre o batismo com o Espírito Santo. Eles decidiram ficar até mais tarde neste dia, para receber o batismo com o Espírito Santo e fogo (termo específico usado por eles), indicando claramente que oravam por uma experiência de acordo com o que havia sido ensinado por Charles Fox Parham. Encontravam-se entre eles Agnes Ozman e duas outras mulheres.

O nome de Agnes Ozman tornou-se muito familiar aos primeiros pentecostais (ela mais tarde manteve sua filiação com as Assembleias de Deus). Nascida em Albany, Wisconsin, em 15 de setembro de 1870, mudou-se no ano seguinte para o Nebraska e experimentou uma vida dura na colônia da fronteira. Assim cresceu, até atingir sua maturidade. A família tinha fortes inclinações religiosas, e Agnes e seus cinco irmãos frequentavam a Igreja Metodista Episcopal. Ainda jovem Agnes inscreveu-se em um grupo de estudo bíblico patrocinado pela YMCA (Associação Cristã de Moços). O grupo de discussões a convenceu de sua necessidade de ser batizada por imersão, o que ela veio a fazer na Igreja Cristã local. Também, aceitou o ensino pré-milenial e obteve a experiência de uma cura milagrosa de pneumonia.

Durante o inverno de 1892, até 1893, Ozman assistiu a uma Escola Bíblica em St. Paul, Minnesota. Quando o seu diretor, T.C. Horton, fechou aquele estabelecimento para começar um trabalho evangelístico de tempo integral em 1894, Agnes Ozman mudou-se para Nova Iorque, a fim de continuar seu treinamento no Instituto Bíblico presidido pelo pastor A.B. Simpson. Lá, ela ficou intrigada com a forte experiência e ênfase no Espírito Santo e descobriu um trabalho muito atrativo para recuperar missões. Após ter deixado a escola, frequentou uma reunião de acampamento no Velho Pomar da Praia, no Estado de Maine, de onde viajou para Nebraska, via Chicago, onde visitou o “lar de cura divina” do Pr. Alexandre Dowie. Ozman posteriormente dedicou-se a missões na cidade de Kansas, onde ouviu sobre os planos do Pr. Parham para abrir uma escola em Topeka, e decidiu inscrever-se.

Com trinta anos de idade, ela reconheceu que não tinha vocação para colona, nem para um lar. Ozman falhara ao perambular de um lado para outro, buscando algo muito vago como realidade espiritual. Apesar de estar inclinada ao ensino ou ministério, gostaria de receber tão depressa fosse possível uma nova experiência, que mudaria seus rumos.

Em 1912, Ozman disse que na Escola de Parham, na passagem do ano de 1900, ela e mais outras pessoas ficaram orando juntas, quando falou três palavras em outras línguas. A isto ela declarou: “Foi uma experiência sobrenatural e estava guardado em meu coração como algo sagrado; o Senhor tinha nos enriquecido a cada um de nós e nada foi falado a respeito ultimamente”.

Ozman relatou que, semelhantemente, outros estudantes dedicaram um bom tempo à oração. Durante o culto da noite de 1º de janeiro de 1901, tendo um desejo de ser batizada com o Espírito Santo e fogo, perguntou a Parham se ele imporia as mãos sobre ela e os outros, assim como foi nos dias dos apóstolos, a fim de que recebessem a experiência. Ela disse: “Falei em línguas conforme Atos 2.1 e 19.6, de modo semelhante, quando o apóstolo Paulo impôs as suas mãos sobre os discípulos de Éfeso, e o relato bíblico acontecido no Cenáculo em Jerusalém, quando foram vistas línguas como de fogo”.

O Pr. Parham e seus 40 primeiros alunos foram unânimes em concordar que a evidência do batismo com o Espírito Santo era o falar em línguas. Confirmava o resultado dos estudos a que chegaram. Segundo o relato de Parham, e também confirmado por Ozman, o qual afirmava que ela falou chinês por três dias, período em que não podia falar seu próprio idioma e nem escrever.

O tempo provou e não demorou muito que a centelha caída em Topeka foi para Los Angeles e lá se tornou o maior centro irradiador difundindo a mensagem pentecostal, abrangendo o país e outras nações e só, para exemplo, a obra de missões recebeu uma dinâmica e velocidade tão expressiva que em dez anos chegou ao Brasil, em seis anos na Índia e África do Sul, em 14 anos no Japão, Noruega, Suécia, Finlândia e outros países da Europa, lembrando também que não dependeu de organizações humanas. Cumpria-se mais uma vez o que o evangelista Marcos escreveu em seu evangelho 16.20: “Então os discípulos partiram, e pregaram por toda a parte, cooperando com eles o Senhor, confirmando a sua palavra por meio de sinais, que acompanhavam”.

FONTE: Breve História do Movimento Pentecostal – CPAD 2003



 

A voz da Palavra Profética Copyright © 2011 - |- Template created by Jogos de Pinguins