quinta-feira, 30 de agosto de 2012

0 Filme de Renato Aragão sobre o “segundo filho de Deus” gera polêmica nas redes sociais




Nos últimos dias, as redes sociais, em especial o Facebook, mostraram um movimento dos evangélicos contra a nova produção de Renato Aragão. O enredo do 49º filme de sua carreira contará a história de um “segundo filho de Deus” enviado a Terra para concluir a missão que Jesus não terminou.
 

 

Orçado em 8,1 milhões de reais, o longa será dirigido por Paulo Aragão, seu filho.  Embora se considere católico, Renato já disse acreditar em reencarnação e seu primeiro romance, “Amizade Sem Fim”, tinha temática espírita. Ele conta a história de um jovem milionário que fez voto de pobreza e durante uma regressão hipnótica ele descobre que em uma de suas vidas passadas, teve uma conexão de amizade com Jesus Cristo.


 

 Milhares de posts tem pedido um boicote ao filme, que ainda nem começou a ser filmado. Pede também que os cristãos, em especial os evangélicos, defendam sua fé.

 

Várias imagens de Renato Aragão, o Didi, foram acompanhadas de pedidos como “Parem esse homem” e “chega de desrespeito aos cristãos”. A campanha que teve mais repercussão até o momento foi a do perfil Na_igreja que escreveu: “O Didi não tem mais graça, agora quer usar a Graça de Deus para fazer graça… Eu sou totalmente contra essa palhaçada, e caso você também seja, COMPARTILHE”.

 


 

 

 

0 As listas da zebra



Um filme da Missão Portas Abertas. A Missão Portas Abertas age em países onde os cristãos são perseguidos, dando suporte e ensino à esses cristãos. Se você deseja se engajar na causa dos irmãos perseguidos ou se quer saber mais sobre os países e as necessidades de oração dos cristãos perseguidos


quarta-feira, 29 de agosto de 2012

1 Porque tantos crentes estão abandonando as igrejas locais?



Um fenômeno está acontecendo ultimamente e tem me chamado bastante à atenção. É o “abandono das igrejas locais”, por parte dos crentes que as frequentam.

No afã de entender esse fenômeno que acontece não é de hoje, todos sabem que a porta de “saída tem sido maior do que a de entrada”, principalmente na Assembleia de Deus, igreja que frequento há quase 20 anos.

E quando digo que crentes, os mais diversos, têm abandonado as Igrejas, não estou falando apenas de novos convertidos ou novos na fé, mas cito crentes com anos de igreja, pois conheço vários que tem dez, quinze e vinte anos de fé, e não obstante a isso estão deixando o redil.

Particularmente eu enumerei pelo menos quatro pontos, que em minha opinião, tem sido cruciais para esse evento:

1.       Falta de pregação bíblica e cristocêntrica – Quando falta à palavra de Deus na igreja, a tendência dela é recuar, todos sabem disso. Toda igreja sadia e forte tem como fundamento a pregação da Bíblia na sua totalidade. É por isso que o apóstolo Paulo escrevia ao jovem pastor Timóteo: “Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina”. 2 Timóteo 4:2. Enquanto isso é comum ouvirmos pregações vazias, verdadeiros chavões e frases de efeito decoradas de pregadores de “renome” no afã de alegrar a igreja. Isso tem gerado uma Igreja doente e sem vida, e por essa razão muitos estão abandonando a fé.

2.       Autoritarismo da liderança – Sou daqueles que defendem a submissão e o respeito à liderança eclesiástica, ou seja, aos pastores constituídos por Deus (Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil. Hebreus 13:17). Mas é de admirar que alguns pastores tenham se aproveitado de versículos como esse e do desconhecimento da membresia e agido como verdadeiros “coronéis da fé”, obrigando aos membros de suas igrejas a aceitarem todas as suas decisões e determinações calados, e isso tem gerado um clima de “servir a Deus por medo e cação”. Qualquer que se atreve a questionar alguns líderes corre o risco de ser taxado de rebelde, divisor, etc.

3.       Abandono das ovelhas por parte dos pastores – Não são todos os pastores, pois ainda encontramos lindas exceções, no entanto existe uma cifra considerável de ministros de igrejas locais que tem simplesmente abandonado às ovelhas a própria sorte. Eu particularmente tenho me deparado com ovelhas abandonadas, desamparadas, e entregues ao lobo devorador (SATANÁS). 

      Principalmente se a ovelha for pobre, morar numa casinha de favela, não tiver um bom carro, um bom emprego, uma boa formação escolar. Etc. Por causa disso as ovelhas estão simplesmente abandonando as igrejas e vivendo com sequelas permanentes na alma, que só uma mudança radical desses ministros e a graça de Deus pode evitar que milhares percam a sua salvação e que os responsáveis pelas suas almas (PASTORES) respondam perante o Sumo Pastor (JESUS) pela sua negligência no cuidado com as ovelhas.

4.       Cobrança exacerbada de dinheiro – Eu não sou avarento, nem sou contra a doutrina dos dízimos e ofertas alçadas nas igrejas. Mas o que está acontecendo ultimamente “é uma vergonha” e uma mancha no seio da Igreja de Cristo. Lembro-me perfeitamente de quando aceitei a Cristo como meu único e suficiente Salvador e Senhor, que a única cobrança de dinheiro nas igrejas era os dízimos e as ofertas alçadas (Malaquias 3.10).

Porém, ultimamente inventaram um bojo de cobranças que raia o absurdo: Oferta de missão (que teria que ser retirado dos dízimos e ofertas); oferta pro aniversário do Pastor setorial, do co-Pastor, e suas esposas, oferta pra ajudar na festa de coral, conjunto de irmãs, segunda e terceira oferta durante os cultos, etc.

Não preciso continuar citando, pois todo assembleiano sabe do que estou falando. É realmente um absurdo, estou indignado ao ver como o povo tem sido tratado (ou melhor, maltratado) por pessoas inescrupulosas e avarentas. É chegada a hora de esboçar um movimento de reação contra tanta injustiça e impunidade, antes que tenhamos que ajustar as contas com o Senhor da Obra e responder por todos os nossos “crimes”.

Pra quem discorda de mim eu respeito, mas mesmo assim, até que me prove o contrário esse é o meu pensamento e essa é a visão que tenho presenciado durante todos esses anos nas Igrejas.

Não, não incentivo a ninguém o abandono da fé, pois que mesmo com todos os erros de “alguns”, a igreja é de Cristo (... e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; Mateus 16:18), e Jesus por certo está vendo tudo o que está acontecendo e ele com certeza há de tomar as devidas providências.

Paz de Cristo a todos,

                                          João Augusto de Oliveira





terça-feira, 28 de agosto de 2012

0 “Trabalhar para o Senhor é minha eterna alegria”

 
 
 
Trabalhar para o Senhor é minha eterna alegria” – Parte 1

Na 32ª posição no ranking de nações que mais perseguem os cristãos, a Índia é um local perigoso para os seguidores de Cristo, mas, acima de tudo, é um país que precisa conhecer o amor de Deus. Por isso, irmãos como o missionário Andrias Soni, arriscam sua vida diariamente para pregar o evangelho. O testemunho que segue abaixo foi dividido em duas partes; seu final reserva uma verdadeira lição de como viver segundo a vontade e a Palavra de Deus

“Tem vezes que eu fico bastante desanimado, com medo, inclusive, mas o Senhor continua abrindo portas novas”, confessou Andrias Soni, evangelista veterano que mora na Índia central. “É como se o sistema tivesse se voltado contra nós. Às vezes me pergunto se eu estou vivendo em um país comunista em época de pré-guerra fria, com o irmão mais velho, do olho que tudo vê, sempre em cima de nós!”, disse.

Toda sua vida foi marcada por oposições e ameaças, o que têm sido a consequência de seu trabalho de propagar as boas novas de Jesus Cristo. "As ameaças nunca me abalaram tanto como nos últimos anos... Mas o Senhor tem sido bom", diz Soni.

Cristão firme no propósito de evangelismo pessoal, Soni não é uma pessoa de personalidade de destaque; aos 65 anos não está nem perto de se aposentar.  Foi assim mesmo, pouco chamativo, que ele compartilhou o evangelho a milhares de pessoas em Jabalpur, Madhya Pradesh, e teve o privilégio de ver muitos cristãos crescerem e amadurecerem comprometidos com a Palavra de Deus.

Antes devoto do hinduismo, aos 31 anos Andrias Soni se tornou um seguidor de Cristo e, desde então, tem se dedicado a compartilhar sua fé com o máximo de pessoas possível. Passou a frequentar regularmente estações ferroviárias, albergues e outros locais públicos, sempre levando uma sacola cheia de folhetos, ansioso para conhecer pessoas, orar por elas e dizer-lhes sobre a esperança de vida que Deus oferece a cada uma delas.

Embora enfrente oposição desde o dia em que começou a testemunhar sobre o amor e a vida de Jesus Cristo, são os incidentes mais recentes que o têm deixado bastante abalado. "Alguns anos atrás, visitei um jovem cristão em um albergue, no intuito de fortalecê-lo em sua fé. Estávamos cercados por alunos pertencentes a grupos extremistas hindus e eu fui brutalmente agredido. Levaram-me para fora do quarto, em um canto escuro e me bateram com tudo o que conseguiram encontrar".

Depois de ter sido ferido, Soni foi levado a uma delegacia vizinha, onde foi submetido a tortura psicológica e humilhação; e forçado a assinar uma declaração que o proibia de entrar no albergue, até mesmo para encontrar seus amigos. A polícia o obrigou a sentar-se em um canto por horas, sem comida, bebida ou ajuda médica, impedido de ter contato com outras pessoas.

"Foi quando Deus colocou misericórdia no coração de um policial. Ele me disse que sabia que eu não estava errado e que os estudantes eram ‘muito barulhentos’ e não deveriam ter como alvo um ‘senhor como eu’. Senti sua abertura para mim e mesmo tremendo de medo, pedi-lhe seu telefone para que eu pudesse pelo menos informar à minha família onde eu estava", narrou Soni.

Sua família relatou tudo a um líder cristão local, que foi até a delegacia saber sobre o estado de Soni. Somente assim os oficiais o liberaram e ele pôde voltar para casa.

O que você faria?
Então, Soni parou de ir aos albergues? Como ele iria encorajar jovens crentes em sua fé e ainda atender às necessidades de pessoas que contavam com sua ajuda? "Bem, eu ainda visito albergues discretamente", confessou ele com um sorriso. "Eu não posso deixar de ir."

"Mas devo dizer-lhe que grupos extremistas são muito organizados. Funciona como uma regra tácita, [ou seja, não é declarado por palavras, mas fica subentendido] os albergues do governo sempre devem reservar seu primeiro quarto a um estudante extremista hindu. Quando você entra em tais estabelecimentos é recebido por uma placa que diz: ‘Proclame sua identidade hindu com orgulho!’ ou com uma fotografia de ‘Bharat Mata’ (imagem hindu da Mãe Índia). Isso é para manter-se atento em quem entra e sai da pousada", explicou.

“Se um dos estudantes não está disponível para o ‘serviço’, os grupos hindus sempre têm um funcionário do albergue para lhes denunciar qualquer problema. O nível de detalhes da organização é impressionante, mesmo em se tratando de pousadas do governo local, lugares tão pequenos perto de todo o trabalho que se tem para vigiar todo o território indiano”.

Há dois anos, Soni foi ameaçado por radicais e, mais uma vez, terrivelmente agredido...
Confira aqui, a segunda parte do testemunho e saiba o que aconteceu com o missionário Andrias Soni.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastag
 
Trabalhar para o Senhor é minha eterna alegria” – Parte 2
 
 
O irmão Andrias Soni realiza um trabalho missionário na Índia há anos, o que, por diversas vezes, foi motivo de repressões e ameaças por parte de extremistas hindus. Essa é a segunda parte de um testemunho revelador da realidade em que vivem aqueles que decidem servir ao Senhor em países onde há perseguição aos cristãos. Para ler o início dessa história, clique aqui
 

Há dois anos, o missionário Andrias Soni estava em uma estação de trem na Índia distribuindo panfletos e conversando sobre o evangelho de Jesus Cristo com as pessoas que passavam, quando membros do Dharam Sena (Exército Religioso) dirigiram-se até ele e o agrediram. Os militares o acusaram de conversão forçada, confiscaram seus materiais e sua Bíblia pessoal (usando-os como evidência e “ferramentas de conversão”) e arrastaram-no novamente para a delegacia.

"Eu já havia sido maltratado e ferido antes, mas dessa vez foi tão grave que eu pensei que eles iriam me matar ou, ao menos, me deixar incapacitado", disse Soni.

Somente depois que a liderança cristã local interveio e contratou um advogado é que Soni foi libertado da prisão – não antes que fosse registrado um boletim de ocorrência contra ele.

O caso se estendeu por cerca de dois anos até que Soni foi inocentado honrosamente por falta de provas. Porém, o trauma enfrentado por ele e sua família é sentido até hoje.

"Foram momentos difíceis, mas Deus se mostrou fiel a nós. Agradeço o apoio e incentivo recebido pela Portas Abertas durante todo esse tempo", lembra Soni e acrescenta ainda: “Sou um missionário aposentado; uma agência missionária me paga um honorário simbólico, só para me incentivar. Minha esposa, Suhas Soni, foi demitida pelo diretor da escola onde trabalhava porque ela se recusou a abrir mão do cristianismo. Ela não tem pensão e, agora, não tem qualquer outro meio de ganhar dinheiro para o seu sustento”.

"Foi nesse momento que a Portas Abertas me ajudou a finalizar a construção da minha casa. Eu tinha um lar inacabado e nunca conseguia os recursos para a sua conclusão. Foi por causa da ajuda oportuna da Portas Abertas que coloquei agora parte da minha casa para alugar e, com o dinheiro que recebo, sustento minha família", declarou.

A violência continua
"Há uma semana, ao ver-me no mercado, o líder do Dharam Sena (mesmo grupo que me agrediu anos atrás) me viu e me cumprimentou. Mesmo com medo, cumprimentei-o de volta. Dentro de alguns minutos um homem que eu nunca tinha visto veio até mim e me pediu para fazer dele um cristão; chegou até a me solicitar uma Bíblia, se eu tivesse uma. Eu sabia que era uma armadilha criada pelo mesmo líder”, relatou.

Soni contou ainda: "Eu sempre ando com folhetos e com minha Bíblia pessoal dentro da bolsa, e eu sabia que tão logo eu fizesse qualquer movimento de pegá-los, uma multidão viria e me acusaria de tentar converter este homem ao cristianismo, à força. Tentei evitar o moço o máximo que pude. Fiz uma rápida oração ao Senhor e assim que a atenção do homem foi desviada, subi na minha Scooter e fugi. Foi por um triz. Grupos extremistas sempre tentam acusar falsamente pastores e evangelistas usando-se de qualquer meio".

“ Deus tem sido bom para mim. Quando militantes da oposição fecham uma porta, Deus, inesperadamente, abre uma nova", disse ele.

"Eu sou um evangelista simples, sem habilidades especiais e um crente convicto no evangelismo pessoal. Há mais de um ano, tenho sido procurado por vários funcionários do alto escalão do governo que me chamam em seus escritórios, sedentos por ouvir sobre Jesus Cristo. Estou feliz em dizer que, agora, muitos são seguidores do Senhor”.

"Algumas pessoas que me conheceram na época em que eram estudantes e viviam ainda nos albergues, hoje se tornaram importantes figuras públicas. Eles me pedem regularmente para visitar seus amigos e contar-lhes o meu testemunho e tem havido respostas surpreendentes às boas novas do evangelho. Uma pessoa a quem tive o privilégio de levar ao Senhor, agora conta com mais de 50 discípulos, a maioria deles de alta casta hindu. O trabalho do Senhor continua, e esta é a minha alegria para sempre”.
Leia aqui primeira parte do testemunho de Soni e, após conhecer sua história, acesse o catálogo de projetos da Portas Abertas. Através da sua contribuição, muitos cristãos que vivem na mesma situação que Soni, poderão ser alcançados e abençoados. 
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastag
 

sábado, 25 de agosto de 2012

0 União estável entre um homem e duas mulheres é oficializada em São Paulo


Um homem e duas mulheres, que já viviam juntos na mesma casa há três anos em Tupã, SP, resolveram regularizar a situação. Eles procuraram o Cartório de Registro Civil e fizeram uma escritura pública de União Poliafetiva. A identidade do trio não foi divulgada pelo cartório.
De acordo com o tabelião que fez o registro, Cláudia do Nascimento Domingues, a escritura foi feita há três meses, mas, somente na quarta-feira (22) foi publicada no Diário Oficial. “A declaração é uma forma de garantir os direitos de família entre eles. Como eles não são casados, mas, vivem juntos, portanto, existe uma união estável, onde são estabelecidas regras para estrutura familiar”, destaca.
O presidente da Ordem dos Advogados de Marília, Tayon Berlanga, explicou que o documento funciona como uma sociedade patrimonial.
“Ele dá direito ao trio no que diz respeito à divisão de bens em caso de separação e morte. No entanto, não garante os mesmos direitos que uma família tem de, por exemplo, receber pensão por morte ou conseguir um financiamento no banco, para a compra da casa própria por exemplo, ser dependente em planos de saúde e desconto de dependente na declaração do imposto de renda”, completa

OBS: O que mais falta acontecer neste mundo? Tudo é normal, menos servir a Deus. É isso que a nossa Justiça e a mídia querem nos enfiar goela abaixo, a ideia que nenhum comportamento hoje em dia pode ser discutido nem criticado, exceto o fato de servir e fazer a vontade de Deus.

Daqui a pouco vão admitir também a pedofilia, a necrofilia, a zoofilia, o incesto, etc. Ora, afinal de contas estamos a caminho do caos total, ou não?

Brevemente uma mulher vai chegar num cartório do Brasil acompanhada de um cavalo pra efetuar a sua união civil e tornar-se marido e mulher. Nesse caso o juiz dirá: EU VOS DECLARO “CAVALO E MULHER” rssss.

E ainda aparecerão aqueles que criticarão os “EVANGÉLICOS FANÁTICOS” por criticar tal comportamento. Você duvida? AGUARDE E VERÁ!

“... o mundo inteiro jaz no maligno” (um João 5.19b).

João Augusto de Oliveira


sexta-feira, 24 de agosto de 2012

0 Google, iTunes e Facebook censuram opiniões cristãs

 
 

Se você acha que pode colocar conteúdo abertamente cristão nos onipresentes gigantes da Internet Google ou iTunes, pense de novo. A National Religious Broadcasters (uma associação nacional de donos de televisão e mídias cristãos nos EUA, cuja sigla é NRB) está divulgando seu primeiro relatório do Projeto John Milton de Liberdade de Expressão Religiosa, desmascarando como a maioria das plataformas baseadas na internet censura opiniões cristãs. E diz que a situação pode piorar.

Escrito por Craig L. Parshall, vice-presidente e consultor jurídico geral da NRB, o relatório, revelado recentemente no Clube de Imprensa Nacional em Washington, DC, cataloga o que chama de “discriminação de pontos de vista por parte das novas plataformas de meios de comunicação e chama a atenção para a censura que está de modo silencioso (mas firme) se implantando”. O relatório também indica soluções, tais como submissões voluntárias às leis de liberdade de expressão ou, se essas medidas falharem, regulamentação federal.

“Com a única exceção do Twitter”, diz o relatório, “as políticas escritas de todas as outras plataformas de comunicações baseadas na internet avaliadas nesse documento mostram um desrespeito cruel aos direitos de livre expressão dos usuários”. O relatório diz claramente que o Google, o iTunes, Facebook e outros têm a intenção de proibir “discurso de ódio”, uma frase vaga e politicamente correta que “se tornou um termo código que indica desaprovação das opiniões do Cristianismo tradicional e bíblico, especialmente com relação à doutrina cristã relativa a questões como aborto e a rejeição ortodoxa da homossexualidade”.

Para ler o relatório inteiro online, vá para: tinyurl.com/nrbMiltonProject.

Traduzido por Julio Severo do artigo “NRB: Google, iTunes, Facebook All Censor Christian Views”.

Fonte: www.juliosevero.com

 

domingo, 19 de agosto de 2012

0 A importância da presença de Deus


Disse mais o SENHOR a Moisés: Vai, sobe daqui, tu e o povo que fizeste subir da terra do Egito, à terra que jurei a Abraão, a Isaque, e a Jacó, dizendo: À tua descendência a darei.

E enviarei um anjo adiante de ti, e lançarei fora os cananeus, e os amorreus, e os heteus, e os perizeus, e os heveus, e os jebuseus.

A uma terra que mana leite e mel; porque eu não subirei no meio de ti, porquanto és povo de dura cerviz, para que te não consuma eu no caminho. Êxodo 33.1-3

A coisa mais importante da nossa vida não é ter um carro novo, uma boa soma de dinheiro no banco, um bom emprego, uma boa formação acadêmica, etc. Pois nós podemos viver tranquilamente sem qualquer dessas coisas, mas o importante sim é a presença de Deus em nossas vidas, pois sem ela nada podemos fazer.

Os filhos de a Israel que o digam, eles provaram o sabor da possibilidade de perder a santa presença de Deus em suas vidas e na sua peregrinação rumo à Canaã.

Deus usou Moisés como seu instrumento para libertar o seu povo da escravidão e leva-los a uma terra boa, a uma terra que manava leite e mel. Deus então os conduziu com mão poderosa pelo deserto e supriu todas as suas necessidades. Mas um determinado dia Deus se cansou (linguagem figurativa) da desobediência e das rebeldias dos israelitas e então disse a Moisés: “... porque eu não subirei no meio de ti, porquanto és povo de dura cerviz...”

Hoje em dia, estamos vivendo como nunca, dias de desobediência e rebeldia quase que generalizada contra os mandamentos e as ordenanças de Deus. Já não se fala mais em obedecer à voz de Deus, e qualquer que fala em santidade e vida transformada (em todos os sentidos) é tido por cafona. SERÁ QUE A PRESENÇA DE DEUS ESTÁ CONOSCO?

Hoje em dia temos pregadores formados em Teologia, cantores com uma bela formação em música, pastores formados em administração de empresas, templos bem ornamentados, etc. Mas onde está o SENHOR DEUS, SERÁ QUE ESTÁ MESMO CONOSCO?

Se ele está mesmo conosco então eu pergunto: Porque então quase que não acontecem mais conversões verdadeiras, batismos no Espírito Santo, milagres gerais no meio da Igreja, vidas verdadeiramente transformadas, etc.?

Será que Deus está conosco incondicionalmente? Será que podemos viver em adultério, prostituição, rebeldia, mundanismo, etc. E mesmo assim abrir a boca e dizer: O SENHOR NOSSO DEUS ESTÁ CONOSCO”?

Será Deus dono de lixão público para permanecer conosco mesmo quando continuamos a pecar habitualmente como qualquer ímpio sem Deus? Não estou dizendo aqui que não podemos errar; errar é humano, mas têm pessoas que gostam do pecado e tomam prazer em viver em desobediência e acham que Deus tem a obrigação de estar com elas, SERÁ QUE ELE ESTÁ MESMO?

CUIDADO para não se enganar e achar que está servindo a Deus, enquanto presta um serviço a SATANÁS e caminha a passos largos para o INFERNO!

João Augusto de Oliveira





sexta-feira, 17 de agosto de 2012

0 Os equívocos do Espiritismo Kardecista




Pr. Eguinaldo comenta sobre a problemática herética do Espiritismo Kardecista e como a Bíblia é contrária a prática do esoterismo.

Veja o vídeo




http://www.cacp.org.br/espiritismo/artigo.aspx?lng=pt-br&article=2879&menu=5&submenu=1

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

0 Bob Esponja é gay?



Comissão de defesa da moral ucraniana diz que Bob Esponja é gay
Kiev, 15 ago (EFE).-  Estudo elaborado pela Comissão Nacional ucraniana sobre assuntos para a defesa da moral chegou a conclusão de que o popular personagem de animação Bob Esponja é homossexual.  Como foi divulgado nesta quarta-feira (15) pelo jornal local "Ukraínskaya Pravda"
A Comissão analisou algumas das principais séries de animação que estão na grade televisiva do país para propor a proibição das que representam "uma ameaça real para as crianças".
‘Bob Esponja’ já completou dez anos de sucesso na telinha (Foto: Reprodução)De acordo com o estudo, séries como "Os Simpsons", "Uma Família da Pesada", "Pokemon", "Teletubbies" e "Futurama" são "projetos especiais dirigidos à destruição da família e à propaganda do vício em drogas".
Algumas das animações ainda representariam "um claro exemplo de propaganda do sexismo", segundo o artigo publicado em um jornal ucraniano.
Para a psicóloga Irina Medvédeva, citada pelo estudo, as crianças com idades entre 3 e 5 anos "tendem a imitar os trejeitos dos personagens e a fazer brincadeiras diante de adultos que não conhecem".
Irina diz que a série "Teletubbies", por exemplo, utiliza "a criação proposital de um homem 'subnormal', que passa o dia todo diante da televisão com a boca aberta e engolindo qualquer informação", seguindo a linha  da "psicologia dos perdedores".



terça-feira, 14 de agosto de 2012

0 Silêncio II




Na primeira postagem sobre o silêncio, nós falamos sobre um silêncio que reina no seio das Igrejas Evangélicas Brasileira quase que de forma geral. Mas dessa feita, estaremos meditando num segundo silêncio, o silêncio imposto à igreja por parte da liderança.

Não quero que ninguém pense que eu estou pregando insurreição, insubordinação ou divisão na Igreja de Cristo, totalmente ao contrário, sou daqueles que defendem obediência e submissão à liderança espiritual, constituída por Deus à sua Igreja.

Porém, acontece que obediência não é o mesmo que “escravidão espiritual” ou submissão cega aos ditames de “lideranças” sem visão de Deus, gananciosas e que se aproveitam da simplicidade do povo. É contra esse tipo de “submissão que me levanto contra em NOME DO SENHOR JESUS”!

O quero dizer com isto é que não admito que alguns líderes pensem que são semideuses, intocáveis e infalíveis; a ponto de não admitirem serem questionados pelos seus liderados, principalmente pelo corpo de obreiros, tornando suas decisões e determinações como se fossem as próprias decisões de Cristo à sua Igreja.

Já percebeu que ultimamente é proibido pensar, perguntar e argumentar com a sua liderança? Você já tentou perguntar ao seu pastor do porquê de algumas decisões dele? Do porquê de algumas cobranças exorbitantes e exageradas de ofertas, votos e afins contra os fiéis?

Já tentou perguntar a sua liderança pra onde vão todos os dízimos dos fiéis, que raramente são revertidos em melhorias aos templos, na evangelização e ajuda aos necessitados? Certa feita eu tentei perguntar, e sabe o que aconteceu? Até hoje sou tido como “obreiro rebelde” e divisor da obra. Mas não me importo com isso, pois Deus conhece o meu coração e sabe que o meu desejo é apenas que haja mais transparência do corpo eclesiástico para com os fiéis.

Acha que estou errado? Bem, o que dizer daqueles que foram arrastados por uma liderança inescrupulosa até um determinado local e sob o seu comando envenenaram-se a si mesmos e morreram todos, simplesmente por não questionar o seu líder? (http://www.acemprol.com/quem-foi-jim-jones-e-o-que-foi-jonestown-t11521.html)

Já pensou se Lutero tivesse se calado ante os desmandos da Igreja Católica de sua época? Teríamos tido a Reforma Protestante?

Não se pode engolir tudo que a liderança quiser goela abaixo passivamente, não é são e nem bíblico fazer isto (Tss 5.21). Como não perguntar de onde alguns tiraram a doutrina das sementes, da justificação pelas obras, das toalhinhas ungidas, das rosas abençoadas, etc.? Como aceitar tudo isso passivamente, sem perguntar nem examinar as Escrituras?

“Ó Jerusalém, sobre os teus muros pus guardas, que todo o dia e toda a noite jamais se calarão; ó vós, os que fazeis lembrar ao SENHOR, não haja silêncio em vós...”
Isaías 62.6
João Augusto de Oliveira


segunda-feira, 13 de agosto de 2012

1 A lavagem cerebral de Rene Terra Nova



Lamentavelmente as percepções doutrinárias do Patriarca Apostólico Renê Terra Nova afrontam as Escrituras Sagradas. Além disso, vale a pena ressaltar que o cristianismo judaizante ensinado por esse senhor, tem ao longo dos anos incentivado o povo de Deus a uma percepção equivocada e distorcida da graça de Deus. Se não bastasse isso, o embaixador dos apóstolos tem imprimido sobre os seus seguidores heresias escabrosas como por exemplo o DNA da honra de Deus e a doutrina das primícias. Junta-se a isso, que o culto protagonizado pelo "paipóstolo", está recheado de comandos "coronelizados" onde o objetivo é incutir na cabeça do povo os chamados valores apostólicos. Nesta perspectiva, é comum encontrarmos Terra Nova, emitindo decretos e gritos espirituais onde os seus seguidores de forma continua repetem os comandos ordenados. 

Há pouco, soube que em um dos seus cultos, Terra Nova fez com que a igreja marchasse e repetisse intermitentemente: doze, doze, doze. Não satisfeito, ele emitiu outra ordem para os seus liderados que dizia: Declarem todos: Eu sou apostólicos, eu sou apostólico.

Caro leitor, vamos combinar uma coisa? Isso é lavagem cerebral. Sinceramente eu confesso que tento, mais não consigo entender os ensinos" terranovianos." Por que não pregar as Escrituras? Por que esse comportamento megalomaníaco? Por que tantas invenções? Por acaso não seria melhor e mais fácil pregar a simplicidade do Evangelho?

Prezado amigo, como já disse anteriormente estou convencido que a unica coisa que a Igreja de Cristo precisa ouvir em nossos dias é a mensagem do evangelho, nada além disso!

Diante de tantas heresias e distorções doutrinárias resta-nos rogar ao Senhor que tenha misericórdia da sua igreja.

Com temor e tremor no coração!
Renato Vargens

Veja o vídeo



--------------------------------


domingo, 12 de agosto de 2012

0 Criação do novo Blog "Estudando e Passando"


Olá amigos da internet, blogueiros e concurseiros de plantão!

Desta feita eu resolvi criar esse blog no afã de ajudar aos meus amigos, que assim como eu têm o desejo de passar em um bom concurso público e assim tornar-se um funcionário municipal, estadual ou federal.

Já ouvi de muitos amigos que esse sonho é impossível, é ilógico ou que é absurdo. Mas eu sou daqueles que não se deixa desistir pela primeira, segunda ou terceira derrotas; sou persistente e não conheço a palavra “impossível”, ela simplesmente não existe no meu dicionário.

Sim é difícil! Reconheço. Mas não impossível, na verdade nada é impossível àquele que tem fé em Deus, força de vontade e determinação. Você é um destes? Então eu lhe convido para andar comigo nesta caminhada rumo à conquista e a comemoração da vitória.

     João Augusto de Oliveira





0 UMA PALAVRA AOS PAIS - Artur W. Pink



Arthur W. Pink (1886-1952) foi um dos autores evangélicos mais influentes da segunda metade do século XX. Erudito bíblico de persuasão reformada e puritana, Pink escreveu várias obras literárias e pastoreou diversas igrejas nos EUA, além de ter servido como ministro na Inglaterra e Austrália.

Uma das mais infelizes e trágicas características de nossa civilização é a excessiva desobediência aos pais da parte dos filhos, quando menores, e a falta de reverência e respeito, quando grandes. Infelizmente, isto se evidencia de muitas maneiras, inclusive em famílias cristãs. Em nossas abundantes viagens nestes últimos trinta anos, fomos recebidos em muitos lares. A piedade e a beleza de alguns deles ainda permanecem em nossos corações como agradáveis e singelas recordações. Outros lares, porém, nos transmitiram as mais dolorosas impressões. Os filhos obstinados ou mimados não apenas trazem para si mesmos perpétua infelicidade, mas também causam desconforto para todos que se relacionam com eles e prenunciam coisas ruins para os dias vindouros.
Na maioria dos casos, os filhos são menos culpados do que seus pais. A falta de honra aos pais, onde quer que a achemos, deve-se em grande medida aos pais afastarem-se do padrão das Escrituras. Atualmente, o pai imagina que cumpre suas obrigações ao fornecer alimento e vestuário para os filhos e, ocasionalmente, ao agir como um tipo de policial de moralidade. Com muita frequência, a mãe se contenta em desempenhar a função de uma criada doméstica, tornando-se escrava dos filhos, realizando várias tarefas que estes poderiam fazer, para deixá-los livres em atividades frívolas, ao invés de treiná-los a serem pessoas úteis. A consequência tem sido que o lar, o qual deveria ser, por causa de sua ordem, santidade e amor, uma miniatura do céu, degenerou-se em "um ponto de parada para o dia e um estacionamento para a noite", conforme alguém, sucintamente, afirmou.
Antes de esboçarmos os deveres dos pais em relação aos filhos, devemos ressaltar que eles não podem disciplinar adequadamente seus filhos, a menos que primeiramente tenham aprendido a governar a si mesmos. Como podem eles esperar que a obstinação de suas crianças sejam dominadas e controladas as manifestações de ira, se eles mesmos dão livre curso à seus próprios sentimentos. O caráter dos pais é amplamente reproduzido em seus descendentes. "Viveu Adão cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem" (Gn 5.3). Os pais devem, eles mesmos, viver em submissão a Deus, se desejam obediência da parte de seus filhos. Este princípio é enfatizado muitas e muitas vezes nas Escrituras. "Tu, pois, que ensinas a outrem, não te ensinas a ti mesmo?"(Rm 2.21). A respeito do pastor ou presbítero da igreja está escrito que ele tem de ser alguém "que governe bem a própria casa, criando os filhos sob disciplina, com todo o respeito (pois, se alguém não sabe governar a própria casa, como cuidará da igreja de Deus?)" (1 Tm 3.5). E, se um homem ou uma mulher não sabem como dominar seu próprio espírito (Pv 25.28), como poderão cuidar de seus filhos?
Deus confiou aos pais um solene e valoroso privilégio. Não exageramos ao afirmar que em suas mãos estão depositadas a esperança e a bênção ou a maldição e a ruína da próxima geração. Suas famílias são os berçários da Igreja e do Estado, e, de acordo com o que agora cultivam, tais serão os frutos que colherão posteriormente. Eles deveriam cumprir seu privilégio com bastante diligência e oração. Com certeza, Deus lhes pedirá contas referentes à maneira de criarem seus filhos, que a Ele pertencem, sendo-lhes confiados para receberem cuidado e preservação. A tarefa que Deus confiou aos pais não é fácil, em especial nestes dias excessivamente maus. Entretanto, poderão obter a graça de Deus, se a buscarem com sinceridade e confiança. As Escrituras nos fornecem as regras pelas quais devemos viver, as promessas das quais temos de nos apropriar e, precisamos acrescentar, as terríveis advertências, para que não realizemos essa tarefa de maneira leviana.
Instrua seu filho
Queremos mencionar aqui quatro dos principais deveres confiados aos pais. Primeiro, instruir seus filhos. "Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te" (Dt 6.6-7). Este dever é sobremodo importante para ser transferido aos outros; Deus exige dos pais, e não dos professores da Escola Dominical, a responsabilidade de educarem seus filhos. Tampouco essa tarefa deve ser realizada de maneira esporádica ou ocasional, mas precisa receber constante atenção. O glorioso caráter de Deus, as exigências de sua lei, a excessiva malignidade do homem, o maravilhoso dom de seu Filho e a terrível condenação que será a recompensa de todos aqueles que O desprezam e rejeitam; estas coisas precisam ser apresentadas constantemente aos filhos. "Eles são pequenos demais para entendê-las" é o argumento de Satanás, visando impedir os pais de cumprirem seu dever.
"E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor" (Ef 6.4). Temos de observar que os "pais" são especificamente mencionados neste versículo, por duas razões: eles são os cabeças das famílias e o governo desta lhes foi confiado; os pais são inclinados a transferir sua responsabilidade às esposas. Essa instrução deve ser ministrada através da leitura da Bíblia e de explicar aos filhos as coisas adequadas à sua idade. Isto deveria ser acompanhado de ensinar-lhes um catecismo. Um constante falar aos mais novos não se mostra tão eficiente quanto a diversificação com perguntas e respostas. Se nossos filhos sabem que serão questionados após ou durante a leitura bíblica, ouvirão mais atentamente: fazer perguntas os ensina a pensarem por si mesmos. Este método também leva a memória a reter mais os ensinos, pois o responder perguntas definidas fixa ideias específicas em nossas mentes. Observe quantas vezes Jesus fez perguntas aos seus discípulos.
Seja um bom exemplo
Segundo, boas instruções precisam ser acompanhadas de bons exemplos. O ensino proveniente apenas dos lábios provavelmente será ineficaz. Os filhos são espertíssimos em detectar inconsistências e rejeitar a hipocrisia. Neste aspecto, os pais precisam humilhar-se diante de Deus, buscando todos os dias a graça que, desesperadamente, necessitam e somente Ele pode dar. Que cuidado eles precisam ter, para que diante de suas crianças não digam e façam coisas que tendem a corromper suas mentes ou produzam más consequências, se elas as imitarem! Os pais necessitam estar constantemente alertas contra aquilo que pode torná-los desprezíveis aos olhos daqueles que deveriam respeitá-los e honrá-los. Não apenas devem instruir seus filhos no caminho da santidade, mas eles mesmos devem andar neste caminho, mostrando por sua prática e conduta quão agradável e proveitoso é ser orientado pela lei de Deus.


No lar de pessoas crentes, o supremo alvo deve ser a piedade familiar, honrar a Deus em todas as ocasiões, e as outras coisas, subordinadas a este alvo. Quanto à vida familiar, nem o esposo nem a esposa deve transferir para o outro toda a responsabilidade pelo aspecto espiritual da vida da família. A mãe, com certeza, tem a incumbência de suplementar os esforços do pai, pois os filhos desfrutam mais de sua companhia. Se existe a tendência de os pais serem muito rígidos e severos, as mães são propensas a serem muito brandas e clementes; portanto, têm de vigiar mais contra qualquer coisa que enfraquecerá a autoridade do pai. Quando este proibir alguma coisa, ela não deve consenti-la às crianças. É admirável observar que a exortação dada em Efésios 6.4 é precedida por "Enchei-vos do Espírito" (Ef 5.18); enquanto a exortação correspondente em Colossenses 3.21 é precedida por "habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo" (v. 16), demonstrando que os pais não podem cumprir seus deveres, a menos que estejam cheios do Espírito Santo e da Palavra de Deus.
Discipline seu filho
Terceiro, a instrução e o exemplo precisam ser reforçados mediante a correção e a disciplina. Antes de tudo, isto implica no exercício de autoridade, a correta aplicação da lei divina. A respeito de Abraão, o pai dos fiéis, Deus afirmou: "Porque eu o escolhi para que ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, a fim de que guardem o caminho do SENHOR e pratiquem a justiça e o juízo; para que o SENHOR faça vir sobre Abraão o que tem falado a seu respeito" (Gn 18.19). Pais crentes, meditem nestas palavras com cuidado. Abraão fez mais do que simplesmente dar conselhos: ele ensinou com vigor a lei de Deus e ordenou sua casa. As regras com que ele administrou seu lar tinham o objetivo de seus filhos guardarem "o caminho do SENHOR", aquilo que era correto aos olhos de Deus. Este dever foi cumprido pelo patriarca, a fim de que a bênção de Deus estivesse sobre sua família. Nenhuma família pode crescer adequadamente sem leis familiares, que incluem recompensas e castigos. Isto é especialmente importante na primeira infância, quando ainda o caráter moral não está formado e as crianças não apreciam ou entendem seus motivos morais.
As regras devem ser simples, claras, lógicas e flexíveis, tais como os Dez Mandamentos, poucas, mas relevantes regras morais, ao invés de centenas de restrições insignificantes. Uma das maneiras de provocarmos desnecessariamente nossos filhos à ira é atrapalhá-los com muitas restrições insignificantes e regras detalhadas e arbitrárias, procedentes de pais perfeccionistas. É de vital importância para o bom futuro dos filhos que estes sejam trazidos em submissão desde cedo. Uma criança malcriada representa um adulto ímpio. Nossas prisões estão superlotadas com pessoas que tiveram a liberdade de seguirem seus próprios caminhos durante sua infância. A mais leve ofensa de uma criança quebrando as regras do lar não deve ficar sem a devida correção; pois, se ela achar clemência ao transgredir uma regra, esperará a mesma clemência em relação a outras ofensas, e sua desobediência se tornará mais frequente, até que os pais não tenham mais controle, exceto através do exercício de força brutal.
O ensino das Escrituras é claro quanto a este assunto. "A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a afastará dela" (Pv 22.15; ver também 23.13-14). Por isso, Deus afirmou: "O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo, o disciplina" (Pv 13.24). E, ainda: "Castiga a teu filho, enquanto há esperança, mas não te excedas a ponto de matá-lo" (Pv 19.18). Não permita que uma afeição insensata o impeça de cumprir seu dever. Com certeza, Deus ama seus filhos com um sentimento paternal mais profundo do que você ama seus filhos, mas Ele nos diz: "Eu repreendo e disciplino a quantos amo" (Ap 3.19; cf. Hb 12.6). "A vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe" (Pv 29.15). A severidade tem de ser utilizada nos primeiros anos de uma criança, antes que a idade e a obstinação endureçam-na contra o temor e a pungência da correção. Poupe a vara e você arruinará seu filho; não a utilize e terá de sofrer as consequências.
É quase desnecessário salientar que as Escrituras citadas anteriormente não têm o propósito de incutirmos a ideia de que nosso lar deve ser caracterizado por um reino de terror. Os filhos podem ser governados e disciplinados de tal maneira, que não percam o respeito e as afeições por seus pais. Estejamos atentos para não estragarmos seus temperamentos, por fazermos exigências ilógicas, e provocá-los à ira, por castigá-los expressando nossa própria ira. O pai tem de punir um filho desobediente não porque ficou bravo, e sim porque é correto fazer isso, Deus o exige, bem como a rebeldia de seu filho. Nunca faça uma ameaça, se não tenciona cumpri-la. Lembre que estar bem informado é bom para seu filho, mas ser bem controlado é ainda melhor.
Esteja atento às inconscientes influências que cercam seu filho. Estude meios para tornar seu lar atraente, não pela utilização de recursos carnais e mundanos, mas por servir- se de ideais nobres, por incutir-lhes um espírito de altruísmo e desenvolver uma comunhão agradável e feliz. Não permita que seus filhos se associem a más companhias. Verifique cautelosamente as revistas e livros que entram em seu lar, observe os amigos que ocasionalmente seus filhos convidam para vir ao lar e as amizades que eles estabelecem. Antes mesmo de o reconhecerem, muitos pais permitem seus filhos relacionarem-se com pessoas que arruínam a autoridade paternal, transtornam seus ideais e semeiam frivolidade e pecado.
Ore por seus filhos
Quarto, o último e mais importante dever, no que se refere ao bem-estar físico e espiritual de seus filhos, é a intensa súplica a Deus em favor deles. Sem isto, todos os outros deveres são ineficazes. Os meios são inúteis, exceto quando o Senhor os abençoa. O trono da graça tem de ser fervorosamente buscado, para que sejam coroados de sucesso os nossos esforços em educar os filhos para a glória de Deus. É verdade que precisa haver uma humilde submissão à soberana vontade de Deus, um prostrar-se ante a verdade da eleição. Por outro lado, o privilégio da fé consiste em apropriar-se das promessas divinas e em recordar que a ardente e eficaz oração de um justo produz muitos resultados. A Bíblia nos diz que o piedoso Jó "chamava...a seus filhos e os santificava; levantava-se de madrugada e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles" (Jó 1.5). Uma atmosfera de oração deve permear o lar e ser respirada por todos os que dele compartilham.
Fonte: The Gospel Coalition
Tradução: Gospel Translations
Fonte: http://www.editorafiel.com.br




 

A voz da Palavra Profética Copyright © 2011 - |- Template created by Jogos de Pinguins