quinta-feira, 31 de maio de 2012

0 Crente pode julgar?



Por Ciro Sanches Zibordi
.
Embora concordem no todo ou em parte com o que lêem aqui, muitos têm dito: “Não cabe a nós julgar”,“Quem é você para julgar?” ou, ainda, “Somos o único exército que mata os seus soldados”.
.
Ora, como diz a Palavra de Deus,“já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus”(1 Pe 4.17). E, se alguém ainda pensa que não cabe a nós julgar, e que o fato de reconhecermos os nossos erros e combatê-los segundo a Bíblia é “matar soldados”, é bom que reflita com base nos pontos mencionados abaixo:
.
1. Segundo a Bíblia, nunca devemos desprezar pregações, ensinamentos, profecias, hinos de louvor a Deus, bem como sinais e prodígios (At 17.11a; 2.13; 1 Ts 5.19,20). Nesse sentido, de fato, não devemos julgar. Mas cabe a nós provar, examinar se tudo é aprovado pelo Senhor (At 17.11b; 1 Ts 5.21; Hb 13.9). Em 1 Coríntios 14.29 está escrito: “E falem dois ou três profetas, e os outros julguem”. E, em 1 João 4.1, lemos: “Amados, não creais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo”. Este é o tipo de julgamento que faço neste blog.
.
2. Devemos julgar segundo a reta justiça (Jo 7.24), e não pela aparência, por preconceito ou mágoa de alguém. Jesus condenou o julgamento no sentido de caluniar: “Não julgueis, para que não sejais julgados” (Mt 7.1), mas, no mesmo capítulo, Ele demonstrou que devemos nos acautelar dos falsos profetas e apresentou critérios pelos quais podemos julgar, isto é, discernir, provar, examinar (Mt 7.15-23).
.
3. Sempre devemos julgar pela Palavra de Deus (At 17.11; Hb 5.12-14), pois ela está acima de mim, de você, de nós, do cantor fulano, do pregador beltrano, da vocalista cicrana, dos anjos (Gl 1.8), da igreja tal, etc. Leia 1 Coríntios 4.6; Salmos 138.2.
.
4. Devemos julgar de acordo com a sintonia do Corpo com a Cabeça (Ef 4.14,15; 1 Co 2.16; 1 Jo 2.20,27; Nm 9.15-22). A verdadeira Igreja de Cristo é a que o acompanha, o segue, e não aquela que segue ao seu próprio caminho. Em Apocalipse 2 e 3 vemos exemplos de igrejas que agradavam a Jesus (a minoria) e de outras, que não faziam a vontade dEle.
.
5. O julgamento deve ocorrer também segundo o dom de discernir os espíritos dado às igrejas de Cristo (1 Co 12.10,11; At 13.6-11; 16.1-18). Mas a falta deste dom em algumas igrejas locais faz com que os crentes se conformem com o erro e digam: “Quem sou eu para julgar?”, etc.
.
6. Devemos julgar tudo com bom senso (1 Co 14.33; At 9.10,11). Você pode me julgar, analisar o que eu escrevo, examinar, contestar, sabia? Mas com bom senso, à luz da Palavra de Deus, e não de maneira agressiva, com um comportamento de fã, defendendo o seu grupo ou seu cantor preferido. E não basta fazer citações bíblicas. É preciso saber citar versículos bíblicos que estejam em harmonia com contexto. É necessário saber manejar bem a Palavra de Deus (2 Tm 2.15).
.
7. Devemos julgar, ainda, de acordo com cumprimento da predição, no caso da profecia (Ez 33.33; Dt 18.21,22; Jr 28.9), se bem que apenas isso não é suficiente para autenticá-la (Dt 13.1,2; Jo 14.23a). Com já mencionei neste blog, a “apóstola” tal (Alguém sabe do seu paradeiro?) afirmou que Jesus voltaria num dos sábados de julho de 2007? Muitos esperaram o seu cumprimento até o último sábado... Mas, no caso desta predição, não era nem necessário esperar, pois já estava reprovada desde o início pelo teste da Palavra!
.
8. Finalmente, devemos julgar de acordo com a vida do pregador, da cantora, do profeta ou do milagreiro (2 Tm 2.20,21; Gl 5.22):
.
Ele(a) tem uma vida de oração e devoção a Deus?
Ele(a) honra a Cristo em tudo, não recebendo glória dos homens?
Ele(a) demonstra amar e seguir a Palavra do Senhor?
Ele(a) ama os pecadores e deseja vê-los salvos?
Ele(a) detesta o mal e ama justiça?
Ele(a) prega contra o pecado, defende o evangelho de Cristo e conduz a igreja à santificação?
Ele(a) repudia a avareza, ou ama sordidamente o dinheiro?
.
"Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores.
Por seus frutos os conhecereis"
Mateus 7.15-16.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

1 Irã: Descoberta do Evangelho de Barnabé




Bíblia” turca afirma que Barnabé previu a vinda de Maomé
Reza Kahlili

A agência iraniana Basij Press alega que um suposto Evangelho de Barnabé, descoberto em 2000, irá provar que o islamismo é a religião definitiva e justa, causando o colapso mundial do Cristianismo.

Turquia confiscou o texto, escrito em folhas de couro, em uma operação de combate ao contrabando. As autoridades da Turquia acreditam que o manuscrito poderia ser uma versão autêntica do Evangelho de Barnabé, apóstolo conhecpor suas viagens com o Apóstolo Paulo.


A Basij Press sustenta que o texto foi escrito entre os séculos V e VI, e prevê a vinda de Maomé e da religião do islamismo.

O mundo cristão, afirma, nega a existência do evangelho.

Outro “Evangelho de Barnabé” data do fim do século XVI, o que já seria pós-Maomé.

No texto de Barnabé que está nas mãos da Turquia, o capítulo 41 afirma: “Deus havia se escondido enquanto Arcanjo Miguel os expulsava (Adão e Eva) do paraíso, e ao virar-se, Adão notou que sobre os portões do céu, estava escrito ‘La elah ela Allah, Mohamad rasool Allah’”, que significa “Alá é o único Deus e Maomé o seu profeta”.

O exército turco tomou posse do texto porque os “sionistas” e os governos do Ocidente estão tentando omitir seu conteúdo, conforme alegação da Basij Press.
De acordo como Evangelho de Barnabé na mão dos turcos, segundo a Basij Press, Jesus nunca foi crucificado, não é o Filho de Deus e Ele próprio previu a vinda de Maomé. O livro previu até a vinda do último messias islâmico, segundo a reportagem.

“A descoberta da Bíblia original de Barnabé agora irá solapar a Igreja Cristã e sua autoridade, e irá revolucionar a religião no mundo”, afirma a reportagem da Basij. 


“O fato mais relevante, no entanto, é que essa Bíblia previu a chegada do Profeta Maomé e por si própria confirmou a religião do Islamismo, e apenas isso irá desequilibrar as forças do mundo e criar instabilidade no mundo cristão”.

A reportagem da Basij conclui que a descoberta é tão imensa que irá afetar a política global, e que as forças mundiais tomaram ciência do seu impacto.

Os turcos planejam expor a Bíblia ao público. Embora as autoridades turcas acreditem que essa poderia ser uma versão autêntica do Evangelho de Barnabé, outros acreditam que ele foi escrito apenas no século XVI, e seria falso por ter sido escrito séculos após a morte de Maomé.

Erick Stakelbeck, apresentador do programa do “Stakelbeck on Terror” (Stakelbeck contra o Terror) da emissora Christian Broadcasting Network, junto com um observador próximo das questões iranianas, afirmam que o Irã tenta chamar atenção para o livro porque vê o cristianismo como uma ameaça.

“O regime iraniano está comprometido com a extinção do Cristianismo de todas as formas possíveis, quer isso signifique executar convertidos, queimar Bíblias ou atacar igrejas clandestinas”, explica.

“Ao promover a chamada Bíblia de Barnabé, que provavelmente foi escrita por volta do século XVI e não é aceita por nenhuma grande denominação cristã, o regime está mais uma vez tentando desqualificar a fé cristã. Um número recorde de jovens iranianos está abandonando o islamismo e abraçando Cristo, e os mulás veem o Cristianismo como uma ameaça crescente à sua autoridade”.

O Vaticano pediu para ver o texto, mas não se sabe se a Turquia permitiu o acesso.
Os aiatolás iranianos declaram regularmente que o islamismo é a única e definitiva religião certa enviada por Deus.

O Grande Aiatolá Jafar Sobhani, em uma declaração recente, declarou que uma vez que o Alcorão foi o último livro sagrado e fornece a religião mais completa do mundo, e que Maomé é o último profeta, não existe autoridade para obedecer a outros livros. O Alcorão indica claramente que apenas os que aceitarem a verdadeira religião do islã são os guiados, afirma.

Conforme noticiado recentemente, um ex-agente de inteligência da Guarda Revolucionária revelou que dezenas de milhares de Bíblias foram confiscadas e queimadas no Irã sob ordem do líder supremo do país, o aiatolá Ali Khamenei. O mulá afirma que a Bíblia não é um livro sagrado, e que queimá-la é moralmente aceitável.

Khamenei afirma: “Considerando o entendimento da promessa divida do todo-poderoso Alá, os sionistas e o Grande Satã (Estados Unidos) em breve serão derrotados. A promessa de Alá será entregue e o islamismo será vitorioso".

Traduzido por Luis Gustavo Gentil do artigo do WND: “Iran: Discovery will collapse Christianity


terça-feira, 29 de maio de 2012

0 Três perguntas a se fazer a um Kardecista




1.          Você sabia que é perigoso entrar em contatos com espíritos?

As pessoas que entram em contato com espíritos através dos médiuns, não têm como saber o verdadeiro caráter dessas entidades. Elas supõem que sejam do bem, porque acreditam que eles estão falando a verdade. Mas se eles forem do mal, com certeza estarão mentido. Sendo assim, estão correndo um enorme risco. O próprio Alan Kardec concordou com isto:

Assim, se um espírito se comunica com o nome de São Pedro, por exemplo, não há mais nada que prove que seja exatamente o apóstolo desse nome. Pode ser um espírito do mesmo nível, por ele enviado ("O Que É o Espiritismo", p. 318. Editora Opus Ltda., 2ª edição especial, 1985). (Destaques nossos).

Esses espíritos levianos pululam ao nosso redor, e aproveitam todas as ocasiões para se imiscuírem nas comunicações; a verdade é a menor de suas preocupações, eis porque eles sentem um prazer malig¬no em mistificar aqueles que têm fraqueza, e algumas vezes a pre-sunção de acreditar neles, sem discussão ("O Livro dos Médiuns", p. 402. Editora Opus Ltda., 2ª edição especial, 1985).

2. Você sabia que entrar em contato com espíritos foi considerado uma abominação?

Nenhum livro sagrado de outras religiões proíbe o contato com espírito dos mortos. A Bíblia proíbe. Usar a Bíblia para justificar aquilo que ela proíbe é uma contradição. Nas Escrituras, invocação de mortos é continuamente condenado:

Entre ti se não achará quem... quem consulte um espírito adivinhante, nem mágico, nem quem consulte os mortos, pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; (Dt 18.10-12)

3. Você sabia que a prática mediúnica é uma impossibilidade?

E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez vindo depois disso o juízo. (Hebreus 9.27).

E disse ele: Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes à casa de meu pai, pois tenho cinco irmãos, para que lhes dê testemunho, a fim de que não venham também para este lugar de tormento. Disse-lhe Abraão: Eles têm Moisés e os Profetas; ouçam-nos. E disse ele: Não, Abraão, meu pai; mas, se algum dos mortos fosse ter com 31 eles, arrepender-se-iam. Porém Abraão lhe disse: Se não ouvem a Moisés e aos Profetas, tampouco acreditarão, ainda que algum dos mortos volte à vida. (Lucas 16.27-31)

Autor: Pr. Eguinaldo Hélio de Souza -
              Fundador e pastor presidente do Ministério Evangélico Esperança em São Vicente/SP, jornalista, poeta, membro da Academia Vicentina de Letras, professor de teologia, colunista do   Hoje Jornal (SBC), palestrante nas áreas de escatologia, apologética...


domingo, 27 de maio de 2012

0 4 Razões porque não sou Espírita



INTRODUÇÃO - Espiritismo é a religião (doutrina) baseada na comunicação com os espíritos (mortos), daí o nome “Espíritismo”.

As raízes do espiritismo são milenares, uma vez que o próprio decodificador moderno dessa doutrina (Allan Kardec) ensina que, espirita é “todo aquele que acredita na manifestação e comunicação com o mundo espiritual”.

Kardec (Hippolyte Léon Denizard Rivail), nascido em 03 de Outubro de 1804 e falecido em 31 de março de 1869, foi educador, escritor e tradutor francês. Ele dedicou-se ao que ele denominou “espiritismo”, ou a possibilidade de comunicação dos vivos com os mortos.

Dadas essas informações básicas, quero introduzir o assunto dizendo que não sou e nunca serei espirita. Por quê? Vamos aos fatos.

Primeira razão - Porque o espiritismo não acredita na Bíblia – Para nós que somos cristãos (protestantes, evangélicos e católicos), a Bíblia é nossa regra de fé e prática.

O livro mais importante das nossas vidas, um livro incomum e que nenhum outro a ele se compara. Na Bíblia encontramos tudo o que precisamos para a nossa boa conduta, salvação e vida; não somente neste mundo mas também na eternidade.

Para o cristão, a Bíblia não é somente um livro, ela é a própria boca de Deus falando aos ouvidos e coração do homem.

 Quem destruísse este Livro, como já tentaram fazer os inimigos da felicidade humana, nos deixaria profundamente desconhecedores do nosso Criador, da criação do mundo que habitamos, da origem e dos progenitores da raça, como também do nosso futuro destino, e nos subordinaria para sempre ao domínio do capricho, das dúvidas e da concepção visionária.

     A destruição deste Livro nos privaria da religião cristã, com todos os seus confortos espirituais, esperanças e perspectivas animadoras, e no lugar desses, nada nos deixaria a não ser a penumbra triste da infidelidade e as monstruosas sombras do paganismo.

     A destruição deste Livro despovoaria o céu, fechando para sempre suas portas contra a miserável posteridade de Adão, restaurando ao rei dos terrores o seu aguilhão; enterraria no mesmo túmulo que recebe os nossos corpos, todos os que antes de nós morreram, e deixando a nós o mesmo triste destino.

    “Enfim, a destruição deste Livro nos roubaria de uma vez tudo quanto evita que a nossa existência se torne a maior das maldições; cobriria o sol; secaria o oceano e removeria a atmosfera do mundo moral, e degradaria o homem a ponto de ele ter ciúmes da posição dos próprios animais" (desconheço o autor).

Segunda razão – Porque a Bíblia condena a comunicação entre vivos e mortos – É impossível conciliar “espiritismo e cristianismo” doutrinariamente. Não estou querendo dizer com isso que temos que ser inimigos e nos digladiar nas arenas na vida. Mas que no campo das ideias, da filosofia e da teologia, não há possibilidade de conciliação para esses dois segmentos doutrinários. Um é totalmente oposto ao outro e vice-versa.

Conforme sabemos, a comunicação entre vivos e mortos é a base fundamental do espiritismo; a viga mestra da doutrina espirita. Tiremos esse pilar e o espiritismo ruirá; enquanto que a Bíblia condena veementemente essa prática. Não porque haja essa possibilidade, dos vivos se comunicarem com os mortos, mas justamente pelo contrário, porque as pessoas que pensam estar em contato com os parentes e outros mortos, na verdade estão em contato com os próprios demônios e estão sendo enganadas e iludidas por eles.

Poderíamos citar aqui diversas passagens em que a Bíblia condena essa prática, mas para reforçar a nossa tese citaremos apenas a clássica passagem de Deuteronômio 18. 9-12:

Quando entrares na terra que o SENHOR teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações. Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR teu Deus os lança fora de diante de ti”.

Terceira razão – Porque não existe reencarnação – Como uma segunda coluna do espiritismo, a reencarnação é a doutrina na qual se acredita que uma pessoa morre sucessivas vezes e renasce novamente até alcançar a perfeição moral e espiritual e assim alcançar a “salvação”.

Hoje em dia muitas novelas, inclusive as da REDE GLOBO tem disseminado esse ensino errôneo e perverso. E por pior que isso pareça muitos “cristãos desavisados” estão embasbacados com essas novelas sem terem a noção do perigo que suas almas estão correndo.
Reencarnação não existe, é uma invencionice e uma doutrina de demônios, elaborada para enganar os incautos e sem entendimento das Escrituras. Citarei apenas três razões do porque a reencarnação é uma falsa doutrina.

1 – A salvação é por Jesus Cristo e não através de sucessivas reencarnações; 2 – A Bíblia diz que ao “homem está ordenado morrer uma vez” (Hb 9.27) e não dezenas de vezes; 3 – se a reencarnação resolve-se o problema da salvação, então segue-se que Jesus morreu na cruz em vão.

Nós não reencarnamos em outra pessoa nem muito menos em animais, como acreditam algumas religiões orientais. O ciclo da vida é nascer e um dia morrer e ponto final. Morrendo nessa vida terrena o homem tem agora a incumbência de se apresentar ante o seu CRIADOR no dia do JUÍZO para dar contas dos seus feitos e ações nessa terra. Se ele aceitou o sacrifício de Cristo e viveu uma vida santa, a salvação dele está garantida; se ele recusou crer em Jesus e viveu no pecado e na maldade; irá para a perdição eterna que a Bíblia chama de: LAGO DE FOGO E SEGUNDA MORTE.

Quarta razão – Porque o espiritismo nega a ressurreição de Jesus – O apóstolo Paulo quando escreve a sua primeira epístola aos coríntios no capítulo quinze, ele fala acerca da ressurreição de Jesus.

A ressurreição é um dos fatos mais atestados da história e o pilar, a viga mestra do cristianismo. O próprio apóstolo Paulo diz que, não crê na ressurreição de Jesus é anular a “graça de Deus” e tornar vã a nossa fé: “E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados”. 1 Coríntios 15:17

Se Cristo não ressuscitou, nós também não ressuscitaremos e ainda permanecemos em nossos pecados e delitos. Dizer que Jesus não ressuscitou é propagar “doutrina de demônio” e tentar arrancar dos corações a maior de todas as esperanças “a esperança da ressurreição futura”.

Quem assim age é chamado de mentiroso, pois que nega o pai e o filho (1 Jo 2.22)

CONCLUSÃO – Por causa de tudo isso e muito mais que não é possível detalhar aqui neste breve resumo, eu não sou e provavelmente nunca serei espirita. O espiritismo nega a Bíblia, a divindade de Jesus, a sua ressurreição, a vida eterna nos céus, a esperança da salvação, etc.

Aconselho a todos aqueles que estão enredados nas teias venenosas do espiritismo que se arrependam e aceitem a graça de Deus oferecida na cruz de Jesus para que sejam salvos e possam assim participar da vida eterna nos céus.

João Augusto de Oliveira






sábado, 26 de maio de 2012

0 União gay é aprovada no Senado debaixo do nariz da bancada evangélica





A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado aprovou nesta quinta-feira (24) um projeto de lei que modifica o Código Civil para mudar a entidade familiar para união de “duas pessoas”, desfazendo a união entre “homem e mulher”.

No ano passado, o Supremo Tribunal Federal, numa atitude ousada, violou a Constituição ao igualmente desfazer o conceito consagrado de união entre “homem e mulher” e ao estabelecer, em nome de distorcidos direitos humanos e uma distorcida dignidade humana, a união entre indivíduos de mesmo sexo.

A Constituição teve de se prostrar à vontade ideológica dos ministros do STF em prol de supremacistas gays.

O projeto de Marta Suplicy veio como um reforço para garantir a vitória dos supremacistas gays no STF.  “Além de trazer segurança jurídica à decisão do STF, o projeto dá um passo adiante permitindo a conversão da união homoafetiva em casamento”, comemorou a senadora do PT. “Muito me emociona ver o Senado, pela primeira vez em 186 anos de história, aprovar um projeto dessa natureza. Sem dúvida é um dia histórico para a luta pelos direitos de LGBTs”, afirmou.



 
Marta Suplicy: mais um golpe contra a família natural
O maior estímulo para Suplicy foi a declaração recente do presidente americano Barack Obama apoiando o “casamento” gay. Não é a primeira vez que ela recebe estímulo da nação americana. Seu treinamento em universidades americanas, nas décadas de 1960 e 1970, foi um importante alicerce para seu radical ativismo sexual nas décadas seguintes. Portanto, sua conduta de incansável promotora de anormalidades sexuais não é surpresa.

O que é surpresa é que dois membros evangélicos da Comissão do Senado que aprovou a mutilação do Código Penal em favor da ideologia gay não estavam presentes nem para votar nem para fazer frente à mutilação.

Os senadores Magno Malta e Eduardo Lopes, que fazem parte da chamada Bancada da Família no Congresso Nacional, estavam ausentes da votação.

O Partido Social Cristão, que usa os horários eleitorais para defender os valores cristãos, tem um membro na Comissão, o senador Eduardo Amorim. Mas o senador social cristão votou a favor do projeto de Suplicy.

Magno Malta tem anos de experiência com o PLC 122 e as jogadas do PT para puxar o tapete da oposição. Do PT ele sabe que só pode esperar golpes baixos e enganações. Portanto, onde estava a assessoria dele para lhe avisar do que Suplicy faria na quinta-feira?

Se a desculpa de Malta é que sua assessoria é incompetente, então demita-a, e contrate outra com melhor qualificação.

E as desculpas dos outros senadores?

Suplicy está comemorando sua vitória e animadíssima em sua causa homossexualista, graças ao mau exemplo de Obama.

Contudo, onde está o ânimo dos parlamentares cristãos? Onde estão eles enquanto Suplicy está comemorando?

Resta saber o que o que está acontecendo com os senadores cristãos que passam suas campanhas eleitorais apregoando defesa à família e se ausentam de uma votação importante onde a rainha dos supremacistas gays desfere mais um golpe mortal na sagrada instituição do casamento.

Com informações do Holofote.



sexta-feira, 25 de maio de 2012

0 Missões - Janela 10X40 - "Um grande desafio"


Janela 10/40

A Janela 10/40 é a região entre os paralelos de l0 graus e 40 graus de latitude norte, que abrange o Norte de África, o Oriente Médio, América Central e Sudeste da Ásia. Ele foi chamado de "cinturão de resistência" por causa de sua obstinada resistência ao Evangelho de Jesus Cristo. A oração pode transformar essa região no "cinturão de justiça".

A JANELA 10/40 ...

·         Contém 44 dos 50 piores países perseguidores de cristãos do mundo;

·         O berço das principais religiões do mundo;

·         Habitado por maioria de muçulmanos, hindus e budistas;

·         Tem uma população de 4,5 bilhões;

·         Principalmente evangelizados;

·         Oito em cada dez pobres do mundo vivem ali;

·         Inclui cinco das seis nações que patrocinam o terrorismo de forma ativa;

·         Doenças com poucas ou nenhuma chances de cura são comuns ali.

Vivem no mundo hoje, mais de 2,5 bilhões de pessoas que nunca ouviram o Nome de Jesus nem sequer uma vez. Esta vasta multidão representa 15 vezes a população do Brasil, 1,7 bilhão são considerados cristãos.

Destes ,quantos realmente são nascidos de novo? "Não há outro Nome pelo qual devamos ser salvos." "Todo aquele que não nascer de novo... não pode entrar no Reino de Deus." (At. 4:12, Jô. 3:3-5)

Existem mais de 200 nações no mundo; 12.500 grupos étnicos; 10.000 povos ainda não alcançados pelo evangelho; 6.528 línguas. 1.1 bilhão de pessoas são analfabetas. 1.3 bilhão são miseravelmente pobres, ou seja, ganham menos que U$ 1.000,00 por ano e somente serão salvas se ouvirem e crerem no Evangelho de Jesus.

Segundo estatísticas nascem 370 mil enquanto morrem 150 mil dia. Estima-se que mais de 85 mil morrem por dia sem nunca terem ouvido falar o Nome de Jesus nem sequer uma vez na vida.

Ou seja, 2,5 milhões de pessoas morrem a cada mês e vão para a eternidade sem terem sido sequer evangelizadas.

Até amanhã a esta hora, mais de 85 mil vidas terão ido para o inferno e se você crê mesmo na bíblia, saberá que isso não é sensacionalismo mas que é nossa mais pura realidade.

Ore pela evangelização destes Países!

FONTE: http://www.miaf.org.br/artigos.asp?idartigo=116&nome=janela-10/40

quinta-feira, 24 de maio de 2012

0 Disse Jesus: “Em meu Nome”!




“...Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se, beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão”. (Marcos 16.17-18).

Eu creio em milagres! Eu creio no poder sobrenatural de Deus, que opera maravilhosamente na vida do seu povo. Como crente “Pentecostal”, acredito piamente que o nosso Deus pode operar grandes maravilhas na vida do seu povo.

Mas o que tenho visto ultimamente é algo estarrecedor e desumano no meio do povo que se diz “cristão”.

São campanhas e mais campanhas disso e daquilo outro; é campanha do galho de arruda, da flor santa, da trombeta ungida, etc. Uma verdadeira miscelânea entre fé e misticismo, imaginando que através dessas práticas vai-se levar Deus a operar em nossas vidas.

Sou totalmente contra a prática de colocar a fé em objetos como meio transmissor da benção de Deus. Deus opera em nossa vida, mas ele não precisa de “muleta” para nos abençoar e para operar o milagre. É interessante que a maioria dessas pessoas que vivem nesse expediente de colocar a fé em objetos, não o fazem de graça, elas pagam e pagam caro. Outro dia PASMEM OS SENHORES, a minha vizinha chegou da sua igreja com uma “tartaruga ungida”.

Engraçado mas é a triste realidade em que vivemos. Um evangelho (que não é o de Cristo) centrado no consumismo e na ganância, e os seus propagadores como ilusionistas enganando as pessoas e lhes tirando da carteira até o último centavo. 

Alguém pode argumentar: Mais está na Bíblia que algumas pessoas praticaram a colocação da fé em objetos como transmissores da unção de Deus e o milagre aconteceu. Como por exemplo: Isaías que colocou a pasta de figos sobre a enfermidade (Isaías 38.21); o lenço de Paulo que curava e expulsava os demônios (Atos 19.12). Conheço muito bem essas passagens.

Mas vamos aos fatos. Primeiro, nem Isaías nem Paulo cobraram um centavo das pessoas que foram curadas através dessa prática. Segundo, em nenhum lugar das Escrituras nós encontramos uma instrução para que essas práticas sejam regras na Igreja. Terceiro, o poder de Deus não estava no abjeto, mas, na fé em Deus que opera maravilhosamente.

Àqueles que defendem essa prática eu lhes pergunto: Se devemos seguir a risca esses modelos, porque estão inseridos na Bíblia, então porque não seguir a todos os demais modelos citados também na própria Bíblia? (E subiu à cama e deitou-se sobre o menino, e, pondo a sua boca sobre a boca dele, e os seus olhos sobre os olhos dele, e as suas mãos sobre as mãos dele, se estendeu sobre ele; e a carne do menino aqueceu. 2 Reis 4:34);  (Tendo dito isto, cuspiu na terra, e com a saliva fez lodo, e untou com o lodo os olhos do cego. João9.6).

Porque então não deitam-se os defensores dessas práticas sobre os seus fiéis como fez Elias? Porque então não cospem no chão e colocam nos olhos dos cegos? Porque então não se faz a “campanha do cuspe santo”?

Repito, Deus opera na vida dos seus de forma extraordinária, mas pra isso ele não precisa de nenhum objeto, foto, peça de roupa ou copo de água ungida! Ele opera através do PODEROSO NOME DE JESUS!

É o que nos ensinou o amado mestre: Em meu nome! Em meu nome! Em meu nome! O demônio sai em nome de Jesus; a doença sai em nome de Jesus; a porta se abre em nome de Jesus! É tudo em nome dele e não por causa de rituais ou “tartarugas sagradas”!

João Augusto de Oliveira




quarta-feira, 23 de maio de 2012

0 Eternamente Jesus



JESUS
· J - Justiça – Ele é a nossa justiça e o justificador da nossa alma. Vivemos em um mundo de tantas injustiças, sejam sociais, políticas ou religiosas. Mas Jesus é a nossa justiça eterna nos céus. Aquele que, como advogado fiel, pleiteia as nossas causas e advoga os nossos processos mais difíceis diante do SUPREMO JUIZ DO UNIVERSO.
· E Eterno Nossos dias como uma flor murcham e se esvaem, mas Jesus é Eterno e imutável. Ele não pode ser afetado pelo tempo e os anos não lhe causam nenhum transtorno. Nós mudamos constantemente de pensamento, ação e atitudes. Mas JESUS é imutável. O autor da carta aos Hebreus diz “Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente” – 13.8.
· S – Santo – Ele é o Santo de Deus; o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Nós somos instados a ser santos (1º Pd 1.16), mas Jesus é o santo no absoluto sentido da palavra. Ele é aquele que sem pecado foi formado no ventre de uma virgem e nasceu, cresceu e viveu de forma totalmente pura e separada do pecado. Por isso ele tem autoridade e poder para nos perdoar os pecados e purificar-nos de toda a injustiça.
· U Único – No sentido de filho único do Pai, não quer dizer que Deus casou e teve um filho, ou que em um determinado tempo na eternidade; Deus criou a Jesus e por isso ele é seu filho. Jesus é filho de Deus no sentido de que através dele Deus foi manifestado ao mundo em forma humana. Jesus é filho de Deus no sentido de que ele foi concebido pelo Espírito Santo.
· S Salvador e Senhor – Ele é Salvador das nossas vidas, pois foi ele quem pagou o preço de Redenção pelos nossos pecados. Sendo assim, tornou-se nosso resgatador por excelência. Mas não é somente isso. Além de ser nosso Salvador, é também o nosso Senhor. Ou seja, Jesus é aquele que é dono das nossas vidas em sentido total e absoluto. Não somos mais de nós mesmos, pois agora somos do Senhor.

João Augusto de Oliveira






segunda-feira, 21 de maio de 2012

0 Estaria o Holocausto prestes a se repetir



Eventos atuais parecem se assemelhar à terrível era da Alemanha nazista
Bob Unruh
Livros de história relatam como 6 milhões de judeus, ou mais, morreram sob a Solução Final de Hitler; mas isso foi em outra geração, e nada desse tipo poderia acontecer hoje em dia, muitos acreditam.

Afinal, as atrocidades foram bem documentadas, depois que o general Dwight Eisenhower, que depois seria presidente dos Estados Unidos, ordenou um extenso registro em vídeos e fotos dos horrores descobertos por tropas americanas que libertaram os campos de concentração na Alemanha.



Eisenhower explicava suas instruções à medida que as câmeras da mídia e dos militares gravavam as cenas, dizendo: “Fiz a visita deliberadamente; assim tenho provas, em primeira-mão, sobre tudo isso, na eventualidade de que porventura no futuro surja a ideia de atribuir tais alegações a ‘mera propaganda’”.

Mas, de acordo com o jornal Washington Post, torcedores do Reino Unido ainda hoje podem comprar cachecóis e adesivos onde se lê: “Proibido judeus”.

E um poeta alemão ganhador de um Prêmio Nobel recentemente culpou Israel em público de ameaçar uma “paz mundial que já é frágil”.

Na França, o recente massacre de um homem armado visava judeus, e em Rutger, Nova Jersey, a edição de “1º de abril” de um editorial “exaltava Adolf Hitler”.

Isso fornece a base para o DVD chamado “The Forgotten People” (O Povo Esquecido), cujo trailer está aqui:http://www.youtube.com/watch?v=wuamyUWkBXI




Isso explica em detalhes o motivo de haver um Dia Internacional do Holocausto, para ser observado como o dia em que Israel se lembra dos cerca de 6 milhões de judeus que pereceram no holocausto.
O DVD relata como foi feita a descoberta dos campos da morte na Alemanha, quando um dos subcampos do famoso campo de Buchenwald foi capturado pelas forças aliadas.

Dos 250.000 judeus prisioneiros mantidos lá, apenas 4.000 ainda estavam vivos, explica o DVD. Ainda hoje, “apesar de montanhas de provas”, os negadores do holocausto crescem em uma nova onda de antissemitismo em escala mundial, explica o DVD.

O projeto, de autoria da organização Proclaiming Justice to the Nations, explica que os cristãos, em sua grande maioria, se mantiveram em silêncio à medida que o holocausto era revelado.

E a produtora Lauria Cardoza-Moore documenta o crescimento do ódio aos judeus, e o mais preocupante, “os paralelos entre o nazismo e o islamismo radical, e por que os cristãos precisam tomar o lado da justiça e defender as pessoas e a nação de Israel”.

No vídeo, o especialista em terrorismo Walid Shoebat afirma que o holocausto “nunca realmente terminou”.



Brad Young, professor de pós-graduação em teologia, afirma: “Escolas, educadores e professores cristãos precisam lidar com o problema do antissemitismo cristão”.

James Woolsey, ex-diretor da CIA, fala sobre os inimigos de Israel: “A solução deles, quando falam em ocupar a Palestina, está se referindo a Tel Aviv. Eles querem destruir o estado judeu”.

O DVD alerta que apesar de toda a documentação, hoje em dia o número de negadores do holocausto (os que dizem que ele nunca aconteceu) está crescendo “como uma onda mundial de antissemitismo que atinge níveis não vistos desde a ascensão da Alemanha nazista”.

Cardoza-Moore documenta o crescimento do ódio aos judeus, e o mais preocupante, “os paralelos entre o nazismo e o islamismo radical, e por que os cristãos precisam tomar o lado da justiça e defender as pessoas e a nação de Israel”.

O dia em memória do holocausto foi inaugurado em 1950 pelo primeiro-ministro de Israel David Ben-Gurion e pelo presidente Yatzhak Ben-Zvi. O dia é celebrado em dias variados durante a primavera. Muitas comunidades acendem velas e recitam o kadish, a oração dos mortos.

Pelo mundo, os cultos envolvem eventos nas sinagogas e grupos de vigílias. Muitos programas exibem entrevistas com sobreviventes do holocausto ou com descendentes diretos. Além disso, milhares de judeus e não-judeus pelo mundo se reúnem em Auschwitz para o que se tornou conhecida como “A Marcha dos Vivos”.

Traduzido por Luis Gustavo Gentil do artigo do WND: “Is the Holocaust about to happen again?


 

A voz da Palavra Profética Copyright © 2011 - |- Template created by Jogos de Pinguins